INVERNO: Chuva deve ficar abaixo da média

INVERNO: Chuva deve ficar abaixo da média

Com a chegada da estação fria e menor precipitação pluvial no período, concessionária pede consumo consciente

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Menor ocorrência de chuvas na região Sudeste. Assim pode ser definida a estação mais fria do ano, o inverno, que chegou na última terça-feira, 21, exatamente às 6h14. E, com isso, traz um alerta sobre o abastecimento de água em Limeira, cujos mananciais de captação estão em estado de atenção, devido aos baixos volumes de chuva desde o início do ano, de acordo com a concessionária BRK Ambiental, responsável pelos serviços de água e esgoto no município. De acordo com a empresa, de janeiro a maio, a cidade teve um acumulado de 645 mm (milímetros) de chuva, de acordo com dados do monitoramento pluviométrico do rio Jaguari, responsável pela captação da água que abastece a cidade, e da ETA (Estação de Tratamento de Água) do município. E, entre junho e setembro, durante o inverno, índice deve ficar um pouco abaixo da média.
Segundo a concessionária, a média histórica para o período é de 711 mm. Somente em maio, o volume de chuvas registrado em Limeira ficou 55,5% abaixo da média histórica do mês. “O inverno se encerra oficialmente às 22h04 do dia 22 de setembro e até lá sabemos que os dias secos vão predominar e as projeções do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) indicam que as chuvas devem permanecer próximas ou ligeiramente abaixo da média”, lembrou o gerente de operações da BRK, Rogério Lima. Daí, de acordo com Lima, a importância de um consumo consciente de água nesse período.
Pelo levantamento feito pela concessionária solicitado pela Tribuna de Limeira, a média histórica dos últimos anos, no período de junho a setembro, está assim registrada: 2017, 132 mm; 2018, 157 mm; 2019, 123 mm; 2020, 126 mm e, 2021, a menor média do período, ficou em 58 mm.
Questionada pela Tribuna sobre as previsões para este ano e os índices registrados nos últimos cinco anos, a BRK informou, através de sua assessoria de imprensa, que realiza o monitoramento pluviométrico nas unidades de captação e de tratamento de água de Limeira com objetivo específico de acompanhar o comportamento hídrico dos mananciais e atuar, sempre preventivamente, em situações que possam impactar o abastecimento do município. “Pelo histórico desse monitoramento, observou-se que o volume médio de chuvas registrado na cidade, durante os meses de inverno – junho a setembro – nos últimos cinco anos foi de 119 milímetros”, lembrou a concessionária.
Em Limeira, conforme a concessionária,o consumo médio por habitante/dia nos cinco primeiros meses deste ano foi de 175,6 litros de água, o que significa que cada pessoa tem consumido, pelo menos, 66 litros a mais por dia que os 110 litros recomendados pela ONU (Organização das Nações Unidas) como os necessários para atender as necessidades de consumo e higiene. “E no comparativo com os dados do último diagnóstico do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), o município também apresenta um consumo per capita acima da média da região Sudeste, que é de 171,7 litros de água por habitante/dia; superando também o indicador nacional que é de 152,7 litros de água por habitante/dia”, lembrou a BRK.

FONTES OFICIAIS
A concessionária explicou que utiliza como consulta de previsões meteorológicas os dados disponibilizados por fontes oficiais sobre o tema. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), conforme informou a BRK, tem indicativo de que as chuvas devem permanecer próximas ou ligeiramente abaixo da média na região Sudeste no inverno de 2022, assim como também indicado pelo portal Climatempo, que cita que as médias de precipitação serão baixas ao longo da nova estação em toda a região.
A Tribuna também questionou sobre o comparativo com a estiagem de 2014, lembrando que a diferente entre 2022 x 2014, o volume de chuvas acumulado nos cinco primeiros meses (janeiro a maio) deste ano está 57,3% superior ao ano da crise hídrica. “Em 2022 foram registrados 645 mm de chuva em Limeira no período, enquanto que em 2014 foram 410 mm”, mostrou. E os mananciais de captação, de acordo com a BRK, também apresentam atualmente vazões superiores no comparativo com os registros do mesmo período em 2014. “Nesta semana, o Rio Jaguari tem uma vazão de 7,0 m3, enquanto que em 2014 já se encontrava com 3,0m³/s, na mesma data.
A concessionária reforça, também, que por mais que a situação atual esteja melhor que a de 2014, a importância do uso consciente de água neste inverno e lembra que, o bom uso do recurso neste início da estação mais seca do ano, será fundamental para que Limeira ultrapasse um novo período de estiagem. A população de Limeira pode acompanhar as condições dos mananciais do município em www.jogandojuntopelaagua.com.br.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*