BENEFÍCIO DO INSS: Assédio a aposentados autua bancos

BENEFÍCIO DO INSS: Assédio a aposentados autua bancos

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Apesar de todas as sanções aplicadas pela Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) às instituições financeiras e correspondentes bancários, o assédio a aposentados, quando eles têm seu benefício oficializado continua. Conforme mostrou a Tribuna de Limeira, em sua última edição, a de nº 301 (que traz todos os detalhes) o que deveria ser um benefício comemorado acaba se transformando em martírio, com ligações e mensagens de agências e correspondentes bancários, que não escolhem horários e nem dia para tentar oferecer financiamentos e empréstimos bancários, com data estendida para o início do pagamento, o que é crime, pois não deveriam ter esses dados sigilosos dos clientes.
A Tribuna resolveu, nesta edição, dar continuidade à matéria inicial – Aposentadoria, de benefício a martírio do segurado; qual é a solução? – e procurou a Febraban na segunda-feira, 27, e também o Procon de Limeira para novos esclarecimentos. A Federação dos Bancos, através de sua assessoria de imprensa, informou que os bancos brasileiros estão empenhados em reduzir ao máximo as reclamações de consumidores, através da construção de relações mais transparentes com o consumidor; adequação de produtos e serviços ao perfil e necessidades dos clientes; permanente diálogo com órgãos de defesa do consumidor para corrigir condutas e prevenir conflitos de consumo; fortalecimento da Autorregulação da Febraban e atenção especial aos mecanismos de atendimento e resolução de conflitos por meio de seus SACs (Serviços de Atendimento aos Clientes e Ouvidorias.

AUTORREGULADO
A Febraban esclareceu à Tribuna, que desde janeiro de 2020 está em vigor a Autorregulação do Consignado, que visa eliminar do sistema as más práticas relacionadas à oferta dessa modalidade de crédito. “Pela autorregulação, é considerada falta grave qualquer forma de captação ou tratamento inadequado ou ilícito dos dados pessoais dos consumidores, sem sua autorização e todos os bancos que participam desse sistema assumem o compromisso de adotar as melhores práticas relativas à proteção e ao tratamento de dados pessoais dos clientes”, enfatizou a nota.
Até o momento, de acordo com a federação, 550 empresas que prestam serviços de correspondente receberam sanções, 270 correspondentes bancários foram advertidos e 114 tiveram suas atividades suspensas temporariamente. “Nos casos em que houve reincidência, os agentes tiveram suas atividades suspensas por prazos que variam entre cinco e 30 dias, além de outras 25 suspensas permanentemente, que estão impedidas de prestar serviços aos bancos”, informou. Já os bancos que não aplicarem as sanções, conforme a nota, podem ser multados pelo Sistema de Autorregulação por conduta omissiva, cujos valores variam de R$ 45 mil até R$ 1 milhão. E para facilitar o atendimento à população, a Febraban passou a direcionar as demandas de consumidores relacionadas a produtos e serviços bancários, recebidas atualmente nos canais internos, Conte Aqui e Fale Conosco, à plataforma de resolução de conflitos “Consumidor.gov.br”.
Essa plataforma, a Consumidor.gov.br, conforme explicou a federação dos bancos à Tribuna, é um serviço público criado pela Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) e pelos órgãos de defesa do consumidor, que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas, para a solução de conflitos de consumo pela internet. “Muitos consumidores preferem recorrer aos órgãos de defesa do consumidor ou ao Banco Central, sem procurar os bancos, muitas vezes por desconhecimento da eficácia do SAC e das Ouvidorias das instituições financeiras, que têm sido aperfeiçoados e fortalecidos nos últimos anos, com esforço contínuo para a solução dos problemas”, finalizou a Febraban.


Procom registra aumento nas reclamações por consignados

A Tribuna procurou, também, Procon de Limeira, que nos últimos anos, registrou um aumento expressivo no número de reclamações relacionadas às ligações de telemarketing de empresas de diversos segmentos, inclusive de bancos e instituições financeiras, oferecendo empréstimos a aposentados e àqueles que estão perto de se aposentar, de acordo com a coordenadora do órgão, Mara Isa Mattos Silveira. “Diante disso o órgão criou um serviço de bloqueio de telemarketing e o consumidor que se sentir incomodado com essas ligações, poderá cadastrar sua linha de telefone e deixar de receber essas ligações tão indesejadas, serviço que está disponível no site do Procon, www.limeira.sp.gov.br/procon, afirmou Mara Isa
Segundo ela, o aumento no número de reclamações relacionadas aos empréstimos consignados a aposentados, sem que fossem solicitados, portanto, realizados de forma fraudulenta, sem o conhecimento ou consentimento do consumidor também registrou aumento. E aqueles que se sentirem prejudicados por esse tipo de prática devem registrar a reclamação no Procon, que notificará a empresa para que cancele o empréstimo, sem qualquer ônus ao consumidor. “É importante que, ao constatar o crédito em sua conta, o consumidor não utilize o dinheiro depositado e entre em contato conosco através do telefone (19) 3404-6546 ou pelo WhatsApp (19) 3404-6551, registre sua reclamação no nosso site www.limeira.sp.gov.br/procon ou pessoalmente, no 1º andar do Pátio Office, localizado na Rua Tiradentes, 1.366, Centro”, finalizou Mara Isa. (Antonio Claudio Bontorim)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*