Limeira e a pandemia

Limeira e a pandemia

As estatísticas da Covid em Limeira estão bastante satisfatórias. Os balanços oficiais da Secretaria da Saúde mostram uma redução nas confirmações de novos casos, internações e até mesmo mortes. E a opinião corrente é que já pode ser considerado que há um controle, ainda que não efetivo e prático, sobre a pandemia em Limeira. O que já resultou no desmonte das estruturas próprias para atender a população e na diminuição no número de leitos oferecidos pela rede hospitalar no município.
Se os números estão dando uma trégua, é bom lembrar que a pandemia, por si só, ainda não acabou e ninguém está livre de ser contaminado, principalmente em decorrência de suas variantes mais ativas, como a Gama e a Delta. Esta última a mais contagiosa de todas. Mesmo com a vacinação, que vai chegando a porcentuais mais altos, o uso da máscara facial, a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel, bem como o distanciamento social são importantes para que essas estatísticas caiam mais ainda.
Dezoito meses depois da instituição da quarentena nos estados e municípios, ainda há resquícios de que o Sars-Cov-2 continua infectando a população com a doença, o que reforça o estado de atenção. Ainda não se está na normalidade, embora ela aparente estar nas pessoas, muitas das quais deixaram as medidas e protocolos de lado de forma muito perigosa. Ainda não estamos no pós-pandemia, mas talvez próximo dele, quando as pessoas poderão circular mais tranquilas, para desfrutar de um “novo normal”, como se convencionou chamar a normalidade, que para muitos especialistas nunca será a mesma de antes.
Setembro é o mês de aniversário de Limeira. O município completa 195 anos, e este último ano e meio no convívio direto que a doença que assustou e ainda assusta a população e mobilizando cientistas, pesquisadores e especialistas para que seu controle se torne, de fato, efetivo. Nesse sentido, a Tribuna de Limeira ouviu as quatro principais lideranças políticas baseadas por aqui – o prefeito Mario Botion (PSD), o presidente da Câmara, Sidney Pascotto (PSC) e os deputados, o federal Miguel Lombardi (PL) e o estadual, Murilo Félix (Podemos).
A todos eles, a Tribuna fez duas perguntas: qual é a perspectiva de estarmos próximo, não ao fim, mas ao controle da pandemia do novo coronavírus via vacinação e uso de máscaras? e, nesse sentido, em especial, qual é a perspectiva de Limeira no retorno à vida normalizada – se é que podemos chamar dessa forma – em todos os segmentos. Cada um expos seu ponto de vista. Assim como o médico Renato Salibe Gullo, também entrevistado, mas de forma técnica, que foi o primeiro especialista a falar a Tribuna, em março do ano passado, logo no início da pandemia. Vale a pena conferir, nas páginas que se seguem.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*