Jair e os bobos! Nem Esopo acreditaria…

Jair e os bobos! Nem Esopo acreditaria…

Há uma fábula chamada Pedro e o Lobo, de Esopo, famoso escritor da Grécia antiga, a quem também é creditada outra, também contada por nossas mães, para dormirmos, A Cigarra e a Formiga (no original, O Gafanhoto e a Formiga). Pedro é um jovem pastor de ovelhas, que para se divertir resolveu fazer uma brincadeira, para deixar o tempo menos enfadonho, enquanto pastoreava. Resolveu sair gritando, todos os dias, “o lobo”, “o lobo”, “o lobo”… e as pessoas das aldeias próximas saiam para ajudá-lo, enquanto ele se divertia, rindo da sua esperteza e brincadeira.
Enquanto os dias se passavam, e sempre as pessoas corriam a ajuda-lo, até o momento em que os aldeões perceberam e, quando o lobo apareceu de verdade e ele saiu gritando em desespero, “o lobo”, “o lobo”, “o lobo”…, ninguém o socorreu e ele viu suas ovelhas sendo devoradas, uma a uma. Foi quando ele percebeu o que tinha feito e as consequências de suas mentiras.
Estamos, hoje, vivendo essa fábula. Com um presidente da República mentiroso, que aposta todas as suas fichas nas mentiras. E isso já tem quase três anos. Inventou, inventou e inventou que o STF o atrapalha e, agora, um grupo, não de caminhoneiros, mas de criminosos disfarçados de caminhoneiros, estimulados por outro criminoso, esse foragido da Justiça e pedindo asilo político no México, resolveu comprar a briga de Bolsonaro contra o STF e iniciaram uma paralisação, no pós-7 de Setembro. Vendo-se pressionado, no mesmo dia em que esses caminhoneiros gritavam seu nome e palavras de ordem contra o Supremo, Pedro, quero dizer, o Jair, pediu a eles que desobstruíssem as rodovias, por que senão quem iria sofrer ainda mais seriam as pessoas mais pobres e comprometer a já elevada carga inflacionária.
O Jair, o de Brasília, não o Pedro, de Esopo, fez isso em uma gravação, que circulou entre os caminhoneiros [ou criminosos], que não acreditaram que era o presidente. Ou seja, daqui para frente não adianta mais Jair falando a verdade, que ninguém mais acredita. Nem seus próprios seguidores. A lembrança da fábula de Esopo é interessante neste momento, que apesar de nenhum cataclismo ter ocorrido na política nacional – a não ser a eleição do próprio Bolsonaro –, as mentiras com certeza não vão cessar. Jair vai continuar sendo o Pedro, enquanto sua base corroída, cuja resistência se dá apenas entre os raivosos e intolerantes, como ele próprio, se quedará a novas tentativas de golpes.
Lembrar Esopo é a garantia de que a mentira ainda é o maior legado do governo Bolsonaro. Se o lobo comeu as ovelhas de Pedro, os bobos ainda continuam acreditando no Jair.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*