AVENIDA SANTA BÁRBARA: Nada muda por enquanto, diz Mobilidade

AVENIDA SANTA BÁRBARA: Nada muda por enquanto, diz Mobilidade

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Com a abertura ao tráfego do Viaduto da Barroca Funda, que vai ligar o Centro à Zona Sul do Município e vice-versa, as ruas no entorno dessas ligações são, a partir de agora, uma preocupação de motoristas. Com um fluxo diário estimado em cerca de 80 mil veículos, informação já repassada pela Secretaria de Mobilidade Urbana, estima-se que o trecho entre a Avenida Santa Bárbara, que é continuidade à esquerda da Rua Tiradentes e o início da Lauro Correa da Silva, que é duplicada a partir desse ponto, recebe um fluxo de trânsito ainda mais intenso.
Depois da matéria publicada pela Tribuna de Limeira no último final de semana, sobre a (inauguração) abertura do viaduto ao trânsito, muitos motoristas passaram a questionar se haveria alguma modificação no trânsito da Avenida Santa Bárbara, ao longo de seu trajeto. “Será que uma via estreita, com estacionamento permitido em ambos os lados, não vai causar um problema maior, se não houver uma mudança”, questionou um motorista que costuma usar a avenida, vindo do Centro, e que não será identificado. Outro perguntou “se não seria viável fazer como a Rua Tiradentes, proibir o estacionamento em ambos os lados, para dar maior fluidez ao trânsito?”.
A Tribuna questionou a Prefeitura de Limeira no início desta semana, antes da abertura do viaduto e, através da Secretaria de Mobilidade Urbana, explicou que até o momento,

a única mudança necessária em decorrência do viaduto foi na Rua Professor Azevedo, na Vila Esteves, que já passou a ter mão única desde o último dia 23 de março. Ainda, de acordo com a Mobilidade Urbana, outras eventuais mudanças só serão definidas com a liberação do trânsito no viaduto e monitoramento da região, o que aconteceu na quarta-feira, 31. “Caso a pasta identifique adaptações que precisem ser feitas, realizará estudos para viabilizar tais mudanças, ressaltando que o fluxo na região permanecerá o mesmo, mas com melhor organização do trânsito”, concluiu, mas não explicou, entretanto, como seria essa organização.

O VIADUTO
Com 500 m de extensão, 175 dos quais em elevado, quatro faixas de rolamento (duas em cada sentido), passagem para pedestre e ciclovias, com calçada para pedestres e ciclovia e a própria prefeitura estima que será “uma das mais importantes obras viárias do município nas últimas décadas”. Já o fluxo de tráfego no local, de acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, deve girar em torno de 80 mil veículos por dia.
No início da noite da última quarta-feira, 31, sem uma cerimônia formal, o Viaduto da Barroca Funda foi oficialmente aberto ao tráfego, com a remoção dos obstáculos, que estavam no sentido Centro-Bairro. Além do prefeito Mario Botion (PSD), vice, Erika Tank (PL), deputado Miguel Lombardi (PL) e secretários municipais, estiveram presentes, além do presidente da Câmara, Lemão da Jeová Rafá (PSC), o  líder do governo, Ju Negão (PV).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*