BOA MORTE: Fachada posterior de igreja em obras

BOA MORTE: Fachada posterior de igreja em obras

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Quem passa pela Praça da Boa Morte, pela Rua 13 de Maio, encontra a fachada posterior da histórica igreja fechada por tapumes e com andaimes para realização de obras. É que há cerca de um mês teve início os trabalhos de reforma na estrutura para a continuação do restauro da Igreja de Nossa Senhora de Boa Morte e Assumpção, considerada um dos mais importantes e principais monumentos histórico de Limeira. “esse patrimônio precisa ser preservado às gerações futuras”, afirmou o secretário da Confraria da Boa Morte, Francisco José Soares Júnior, que falou à Tribuna de Limeira sobre as novas obras no imóvel.
Segundo Francisco, quem orienta todo o trabalho é o arquiteto e professor da Unicamp, Marcos Tognon, professor livre docente na instituição e especialista na história da arquitetura e urbanismo, com ênfase na história da preservação no brasil, história da arquitetura no brasil colonial, história da arquitetura no brasil, técnicas construtivas históricas e história das técnicas artísticas. Tognon vem levantando e acompanhando os trabalhos de restauração da Boa Morte em Limeira e, nos próximos dias, de acordo com Francisco, deve estar em Limeira para uma nova vistoria para continuidade das obras. “Assim que demos início a esta etapa do projeto, foram encontrados algumas ‘novidades’, e o professor Tognon ficou de estudar e vem para cá para ver o que deve ser feito”, afirmou o secretário da Confraria.

ESCAVAÇÕES
Francisco José Soares Júnior explicou que foram feitas escavações mais profundas, para priorizar a parte estrutural do imóvel, que deve durar cerca de três meses. “Ainda não vamos completar a pintura da igreja, porque temos o restauro das laterais que precisa ser feito e, assim que concluirmos, sim daremos início à pintura. Francisco afirmou que as obras estão sendo realizadas pela A. Moreira Construções e deve ter seu valor final em cerca de R$ 70 mil, “praticamente quase tudo pago” com recursos da Confraria. O secretário da irmandade lembrou que devido à pandemia não está sendo feito nenhum tipo de arrecadação, “mas toda contribuição é bem-vinda”.
Já a tradicional festa Vem pro Largo, que arrecada fundos para a igreja, não deve ocorrer mais neste ano. “Havíamos estipulado o mês de outubro para sua realização, mas acreditamos que neste ano de 2020 ela não será mais possível”, lembrou. Francisco informou, ainda, que se houver flexibilização, na próxima semana haverá uma missa no sábado, 15, com as portas abertas, mas para 90 fiéis, que, de acordo com ele “é o número que garante o distanciamento social necessário aos protocolos sanitários, devido a pandemia do novo coronavírus.
A Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte e Assumpção se tornou patrimônio histórico e arquitetônico de Limeira, através do Decreto 375/2016, assinado pelo então prefeito Paulo Hadich (PSB), no dia 9 de dezembro daquele ano. A cerimônia aconteceu no Espaço Cultural Engep, atendendo a uma resolução do Condephali (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Arquitetônico do Município de Limeira).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*