Pandemia e mídia

Pandemia e mídia

A vivência de uma nova realidade, que a pandemia do novo coronavírus, cuja infecção causa a Covid-19, vem sendo um desafio para todos os segmentos sociais. Que começa com as pessoas em suas casas e, das  portas para fora, seguem pelas corporações da iniciativa privada, do Poder Público e dos mais diversos componentes da formação social brasileira e mundial, que atingiu a saúde das pessoas – e aqui é preciso lembrar da saúde (ou a falta dela) emocional também – a economia, a saúde pública, e todo o emaranhado de situações que compõe as relações humanas.
Há 18 semanas seguidas, desde o início da quarentena, ou até antes, com a divulgação dos primeiros casos da Covid-19 no Brasil, a Tribuna de Limeira se preocupou em contar essa história, levando-se em conta todas as tendências e ouvindo todos os setores que de certa forma têm envolvimento com este momento, para deixar uma história registrada. Uma história que a maioria das pessoas, se não a sua quase totalidade, nunca havia passado antes. Epidemias e surtos, dos mais variados tipos e origens, sempre fizeram parte do nosso cotidiano, após a grande depressão e a chamada gripe espanhola (que na realidade era americana). Passamos pela peste, pela meningite, pela gripe H1N1, anteriormente chamada de gripe suína, e suas variantes, a dengue, esta ainda um problema endêmico, cujas proporções foram assustadoras às suas épocas, mas nunca chegou, pelo menos que se tenha lembrança, a este patamar. E é aí que entra o papel da mídia. Do jornalismo sério e comprometido – em todas suas vertentes, do eletrônico ao impresso – e dessa história contada.
E os grandes exemplos estão aí para serem lembrados. A união de veículos de imprensa concorrentes em torno de um consórcio, para que o cidadão não ficasse privado das informações necessárias, que o governo federal tentou sabotar, entre outras ações, como a divulgação diária, embasadas em argumentos da ciência e ouvindo sempre especialistas, autoridades sanitárias sérias e envolvidas e pesquisadores. Embora não se tenha chegado a uma conclusão, pelo menos sua busca passa longe dos achismos e negacionismos. E esta Tribuna está engajada  nesse processo, contando uma história que mais adiante fará parte da história, enquanto base para o conhecimento de determinada época. É importante ressaltar essa posição, pois estamos longe de qualquer desfecho. Enquanto essa situação persistir, aqui estaremos nós para contar toda a evolução dessa crise sanitária global. Que ninguém se esqueça disso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*