Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Reduziu tempo
Após a morte do funcionário da Câmara de Vereadores, Ronaldo José Trento, 60, por complicações pela Covid-19, o presidente da Casa, a Mesa Diretora expediu novo ato, o de nº 10/2020, que torna as sessões mais curtas.

Só quatro horas?
Sempre as segundas-feiras – isso não mudou – a duração do Expediente (leitura dos documentos recebidos) será de uma hora e a Ordem do Dia, quando acontecem as votações, começará às 17h, prolongando-se até as 20h.

Exceção à regra
Caso a Presidência do Legislativo entenda necessário a sessão poderá ser prorrogada.

Blá, blá, blá não
Discussão dos projetos só poderá ser feita pelo proponente, mas caso abra mão do debate, o líder do bloco partidário pode tomar para si a responsabilidade. Se evita ‘babação e ovo’ e ‘nobre daqui, nobre dali’, pode restringir, também, debates importantes, quando o projeto tiver maior importância.

Só vendo mesmo
A conferir o resultado. A medida de encurtamento de horário, entretanto, é uma boa prática nesses tempos de pandemia. E quem sabe, agora, vereador que participar ‘remotamente’ da sessão e de seu gabinete, use máscara.

Com velocidade
A morte do servidor da Câmara ocorreu no domingo, 21.Na segunda-feira, 22, o presidente da Casa, Sidney Pascotto, Lemão da Jeová Rafá (PSC), testou positivo para o coronavírus, porém sem apresentar sintomas. E a família é monitorada.

Poder Executivo
E no Edifício Prada? Quantas infecções foram registradas pelo novo coronavírus? Alguma vítima grave? O prefeito Mario Botion (PSD) afirmou que testou negativo.

Tribuna acertou
A previsão de retrocesso na flexibilização, anunciada pela Tribuna de Limeira, em sua edição passada, acabou se confirmando. Foi na coletiva online da terça-feira, 23. Não era mais possível ver os números crescerem sem qualquer atitude. Municípios vizinhos já estão fazendo isso. E Limeira agora fez.

E foi no lombo…
Durante a coletiva Botion reservou um espacinho especial para alfinetar o vereador Dr. Rafael Camargo (MDB). Camargo usou a Câmara para questionar o funcionamento da UCR. Camargo, como mostrou a Tribuna, é pré-candidato a prefeito. E sua crítica foi taxada de eleitoreira e descabida.

Outra chibatada

Veio do secretário da Saúde, Vitor Santos. Ele pediu a palavra e lavou mais roupa suja com o emedebista, que de acordo com ele, havia conversado antes sobre o assunto. “Fiquei decepcionado com essa atitude de um colega de profissão, principalmente depois de ter conversado com ele”, disse um irritado Santos.

Em sua defesa
Já vereador Rafael Camargo se defendeu e afirmou nunca ter falado dos profissionais da saúde da URC. Mas sim dos problemas técnicos apresentados. Não falou se, de fato, havia conversado antes com o secretário da Saúde.  Ele é vice-presidente da Comissão de Saúde da Câmara.

Comum da época
Com a aproximação do período eleitoral tem muito político que vai confundir urubu com louro. Tudo para ganhar notoriedade e chamar atenção na mídia. Currupaco….

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*