PALACETE TATUIBI: Projeto contempla restauro e estrutura

PALACETE TATUIBI: Projeto contempla restauro e estrutura

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Um projeto de restauro e que contempla, também, o reforço estrutural do imóvel. Trata-se do Palacete Tatuibi, que já foi residência da família de Trajano de Barros Camargo, o Dr. Trajano, e abrigou a primeira prefeita do Brasil, Maria Thereza de Barros Camargo, esposa do empreendedor. São as obras que devem dar nova vida ao local, inclusive à praça, que será bancado pela cooperativa de saúde Unimed Limeira, como contrapartida à liberação da construção do novo hospital, na área central do município. Sem valores definidos, que estão à espera da conclusão nos acertos do projeto pelo setor técnico da Secretaria de Urbanismo, para liberar o orçamento. As obras também não têm prazos para o seu início. Conforme a Tribuna de Limeira mostrou em matéria no mês de julho do ano passado, esses valores seriam calculados sobre a área total do futuro hospital, que já começou a ser construído.
Segundo o Secretário de Urbanismo, Matias Razzo, o projeto foi apresentado ao Condephali (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Limeira), que fez suas considerações, e que, em conjunto com as considerações do setor de Patrimônio Histórico da Secretaria de Urbanismo, foram encaminhadas aos responsáveis para as devidas adequações e finalização. “Após definição do projeto de restauro e projetos complementares, será elaborado um orçamento e somente posterior a isso serão definidas as fases da obra”, afirmou Razzo. Ainda de acordo com ele, o Condephali deverá acompanhar e fiscalizar o andamento das obras, assim como se faz com qualquer obra de relevante interesse histórico-arquitetônico, além, e principalmente, da fiscalização por parte do município.
Ao final do restauro do imóvel e da Praça Vitório Bortolan, o prédio será adaptado para receber o Centro de Memória, da Secretaria de Cultura, com previsão de atividades culturais como exposições temporárias, oficinas e apresentações artísticas, atividades ligadas à preservação da memória histórica, cultural e arquitetônica do município, de acordo com a pasta.

OCUPAÇÃO E POMBOS
Até o último mês de março, ainda de acordo com a Secretaria de Urbanismo, através de nota da Secretaria de Comunicação Social, havia ocupação do local por moradores em situação de rua. Já o Ceprosom (Centro de Promoção Social Municipal) informou que realiza abordagens rotineiras na região e, em especial, naquele espaço. “Durante as abordagens, nem sempre as pessoas em situação de rua que se encontram naquele local aceitam o encaminhamento e/ou atendimento dos serviços prestados pelo município”, explicou o Ceprosom, que continuou, “é importante ressaltar que a cidade disponibiliza de serviços específicos para esse público, como o Centro Pop, o Centro de Acolhida e a Casa de Convivência, todos, porém, com regras e critérios para a permanência e utilização”. E a GCM (Guarda Civil Municipal), por sua vez, afirmou que também realiza patrulhamento no local e que irá intensificar esse trabalho. Denúncias podem ser feitas pelo 153.
Hoje, a praça está infestada por pombos e é quase impossível transitar por ela, que recebe limpeza constante por parte da prefeitura. No final de julho de 2016, o então secretário de Obras e Serviços Públicos, na administração de Paulo Hadich (PSB), Marcelo Coghi, anunciou à reportagem da Tribuna que o Palacete passaria por reformas, que custariam R$ 148,5 mil, mas sem o necessário restauro, estimado à época em cerca de R$ 4 milhões. O imóvel abrigou a Câmara de Vereadores entre 1969 e 1997. E, entre 2008 e 2010, voltou a ser utilizados como sede da Secretaria Municipal de Educação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*