Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

A Bolsa Amarela
O vereador Clayton Silva (PSC) ainda não entendeu nada do que foi explicado sobre o livro que ele julga ser um incentivo à “ideologia de gênero” que, mais uma vez, é preciso repetir, não existe. O correto é “identidade de gênero”, que é com o qual a pessoa, seja homem ou mulher, se identifica.

Levou ensaboada
Na sessão da última segunda-feira, 12, enquanto o assunto ainda fervilhava, ele levou um sabão bastante espumoso da vereadora Erika Tank (PL). Ela mandou ele ler o livro e aprender o que ele quer dizer.

Lemão barra fala
O presidente da Casa, Lemão da Jeová Rafá (PSC), não deixou Clayton falar. E até deu outra lição no vereador que é do mesmo partido. Lemão teria dito que também era evangélico, mas não via nenhum problema com o livro e a história em si.

Deveria ser rosa?
Por falar em Clayton, parece que ele não gosta, mesmo, da camisa azul do prefeito Mario Botion (PSD). Ele não está seguindo os preceitos de sua ídola, a ministra Damares Alves, para quem os meninos devem vestir azul e as meninas, rosa.

Indo muito além
Vez ou outra os vereadores tentam se imiscuir em assuntos que não lhes dizem respeito. O projeto do vereador Anderson Pereira (PSDB), que quer proibir portarias eletrônicas em condomínios, conforme mostrou o jornal Gazeta de Limeira é uma dessas intromissões desnecessárias.

Morador decide
Quem decide, ou não, o que se fazer num condomínio é a assembleia de condôminos. Que é soberana. O que não se deve atender a lobbies. Nesse caso está mais parecendo um lobby sindical do que qualquer outra coisa.

Ele ainda é bispo?
As redes sociais foram palco de postagens, no início da semana, com uma foto do ex-bispo de Limeira, dom Vilson Dias de Oliveira, devidamente paramentado, na cidade de Sertaneja, No Paraná.

Inconformismo
Dom Vilson deixou a barba crescer e a pergunta na maioria dos comentários era se ele ainda poderia ser bispo em outro Estado da federação. Com a palavra, a Igreja Católica.

Não gostou nada
Dom Vilson se irritou com as postagens. Nesse caso ele pode reclamar com o bispo?

Ação adequada
Num momento em que se discute muito a questão ambiental, a Prefeitura de Limeira tomou medida bastante justa sobre a situação da lagoa do Parque Ecológico do Jardim do Lago, que recebeu, comprovadamente, esgoto da concessionária BRK Ambiental. A Secretaria do Meio Ambiente autuou a BRK com multa de 3.500 Ufesps, que corresponde a R$ 92.855,00. Cada Ufesp vale, em 2019, R$ 26,53.

A lei para todos
De acordo com nota da Secretaria de Comunicação Social, a situação vem sendo monitorada desde o último dia 8. E pelo dano ambiental, conforme a autuação, a concessionária ficará obrigada a reparar esse dano, com a resposição de dois mil alevinos no prazo de 30 dias.

Para que entenda
Há momentos em que não se tem outra opção, senão mexer no bolso. Cobra-se do causador, em numerário financeiro, a reparação pelo dano causado. E nesse caso um considerável dano ambiental.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*