RENÚNCIA DO BISPO: Diocese de Limeira tem novo administrador

RENÚNCIA DO BISPO: Diocese de Limeira tem novo administrador

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Depois de 12 anos de episcopado, e vários meses sendo investigado por supostamente estar utilizando dinheiro da Igreja em benefício próprio e ter acobertado caso de abusos sexuais, envolvendo um pároco de Americana, o bispo da Diocese de Limeira, dom Vilson Dias de Oliveira, renunciou ao cargo e teve, na sexta-feira, 17, a renúncia publicada e aceita pela Santa Sé, no boletim diário publicado pelo Vaticano. Na mesma publicação, o arcebispo Metropolitano de Aparecida, dom Orlando Brandes, foi nomeado como novo administrador apostólico diocesano, até a nomeação de um novo bispo, o que deve durar, de acordo com o próprio dom Orlando, por volta de um ano ou mais. O novo administrador falou oficialmente à imprensa na sexta-feira, 17, em coletiva na sala de reuniões da Catedral de Nossa Senhora das Dores, ao lado do pároco, padre Tadeu da Rosa e do vigário geral Júlio Barbado, que leu uma carta de despedida de dom Vilson.
Antes de iniciar a coletiva, dom Orlando Brandes convidou os presentes à uma oração e, em seguida, deu início à coletiva, com a leitura da carta de dom Vilson à Diocese, e aos paroquianos, lida pelo padre Júlio. O agora ex-bispo diocesano, que não se encontra mais em Limeira e não participou da coletiva, disse na carta que agradece a “todo povo de Deus” e a acolhida que teve nos 16 municípios que compõe essa Igreja particular de Limeira. Em seguida, ele afirmou na carta, que nos últimos meses, a Igreja e ele próprio vêm enfrentando todo tipo de cruzes e ataques de toda ordem e a vários presbíteros também. “Reconheço as minhas limitações, mas também levo no coração toda a gratidão pela aceitação do povo de toda essa diocese e hoje me despeço de vocês como bispo diocesano e peço minha renúncia por amor a Igreja de Cristo e pelo bem desta Diocese para que os trabalhos pastorais possam continuar crescendo e se fortalecendo, com a doação incansável de cada um de vocês, que se dedica ao reino de Deus”.
Dom Vilson ainda fez algumas citações e se despediu, abençoando a todos em nome de Deus de Nossa Senhora das Dores, afirmando que vai, agora enfrentar novos desafios da sua vocação pastoral.

RENÚNCIA PASTORAL
Ao iniciar sua fala, dom Orlando afirmou que a renúncia de dom Vilson foi solicitada em carta no último dia 4 de maio, e agora aceita e publicada oficialmente no jornal L’Osservatore Romano, na sexta-feira, 17, mantendo-se em sigilo até esta data. Em seguida, ele explicou que é bispo há 25 anos, tendo passado 22 anos como arcebispo de Londrina-PR, outros 10, em Joinvile-SC e, há dois anos e meio, como arcebispo Metropolitano de Aparecida. Ele afirmou que como administrador apostólico, deve dar andamento a todo trabalho da Diocese, porém pastoralmente nada vai mudar. “Meu trabalho será de resolver dificuldades, orientar as perguntas do clero e vou ter, a partir de agora, muitas reuniões com os vários grupos, para me inteirar de como está a Diocese”, afirmou, comentando que deve estar aqui ao menos uma vez por mês e, no restante, será o vigário geral, Júlio Barbado, que desenvolverá os trabalhos. Ele citou a importância da unidade da Igreja, para que os trabalhos possam ter sucesso. “Não conheço a cidade, a região e a Diocese e peço paciência até que consiga assimilar tudo isso”. Após as apresentações formais, ele passou a responder as perguntas dos jornalistas.
Questionado sobre as denúncias contra o bispo, dom Orlando disse que deve ouvir o visitador, dom João Inácio Muller, que foi nomeado arcebispo de Campinas. Depois ouvir outros grupos da Diocese, para conhecer o mapa dessa realidade e continuar os trabalhos. Já o padre Pedro Leandro Ricardo, de Americana, acusado de abuso sexual, continua afastado por tempo indeterminado e a investigação segue. A Tribuna de Limeira questionou sobre o futuro de dom Vilson, e dom Orlando afirmou que ele agora vai descansar, para em seguida tomar seu próprio rumo. Com a renúncia ele deixou de ser o bispo de Limeira, porém não perdeu a função episcopal e a ordem como bispo. E vai depender dele e do próprio Vaticano, como será sua vida daqui para frente. Dom Orlando ficará à frente da Diocese de Limeira até a nomeação de um novo bispo, pelo papa Francisco. “Com a renúncia cessam os problemas com a Igreja, mas continua na esfera civil”, concluiu. Ele continua, também, sendo investigado pela Polícia Civil. Dom Vilson foi nomeado bispo no dia 12 de junho de 2007.

Caso foi revelado pela Folha de S. Paulo em janeiro

As denúncias de coação e extorsão contra o bispo dom Vilson Dias de Oliveira foram reveladas pela Folha de S. Paulo no último dia 29 de janeiro. Dom Vilson também foi acusado de acobertar crimes de pedofilia do padre Pedro Leandro Ricardo, de Americana. Apesar da renúncia de dom Vilson, anunciada oficialmente na sexta-feira, 17, as investigações feitas pela Polícia Civil e MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) vão continuar.

Em fevereiro, o bispo de Lorena, dom João Inácio Muller, foi enviado pelo Vaticano a Limeira para investigar as acusações contra dom Vilson e o padre de Americana. Dom Inácio foi designado pelo núncio apostólico do Brasil, arcebispo dom Giovanni d’Aniello, representante do papa no país. (Antonio Claudio Bontorim)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*