21º COTIL ARTE: Projeto estimula debate sobre a democracia e o senso crítico

21º COTIL ARTE: Projeto estimula debate sobre a democracia e o senso crítico

Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Uma reflexão sobre a democracia, estimulando o senso crítico e a criatividade, reconhecendo o talento dos alunos em sete modalidades. Com esses objetivos, o Cotil (Colégio Técnico de Limeira), da Unicamp, promoveu na noite da quinta-feira, 9, no Teatro Vitória a cerimônia de apresentação e premiação do 21º Cotil Arte, cujo tema foi  Democracia: realidade, utopia ou distopia. Idealizado por uma estudante em 1995, de acordo com nota da assessoria de imprensa do evento, o Cotil Arte é promovido pelo Departamento de Humanas sob coordenação da professora Flaviana Fagotti Bonifácio. “Depois de três anos de pausa, o projeto foi retomado e resultou em trabalhos lúcidos, críticos e lindos. Como a nova direção resgatou a tradição deste evento, manteremos sua periodicidade e nos próximos anos colheremos ainda mais frutos”, afirmou Flaviana.

Segundo a nota, o Cotil Arte está inserido no calendário oficial do município por iniciativa do então vereador José Farid Zaine, hoje secretário municipal de Cultura, que integra a comissão julgadora dos trabalhos. “Os alunos têm talento para participar de festivais de música e de teatro da nossa cidade também”, declarou Farid. A diretora executiva de Ensino Pré-Universitário, Teresa Celina Meloni Rosa, elogiou a importância do projeto para a cultura da cidade. O evento contou também com a presença da diretora administrativa do Cotuca (Colégio Técnico da Unicamp Campinas), Cíntia Kimie Aihara Nicoleti.

Gisele Araújo, aluna de Informática vencedora da categoria composição musical, com a canção Revolução, impressionou o público que lotou o teatro. Sua abordagem sobre desigualdade provocou aplausos e reflexão de todos os presentes. Os trabalhos classificados no Cotil Arte 2019, que não envolveram apresentação de palco, ficaram expostos também no saguão do colégio, em sete categorias, Fotografia: Respeito à diversidade e inclusão; Esquete: Paz, justiça e instituições eficazes; Desenho: Educação para o pensamento; Composição musical: Redução das desigualdades; Vídeo: Trabalho decente e crescimento econômico; Performance Músico-Corporal: Saúde e bem-estar e Suporte: Consumo responsável e produção sustentável.
Já o diretor do Cotil, José Roberto Ribeiro, conforme a nota, enfatizou que a arte é uma maneira de acompanhar o desenvolvimento humano. O pró-reitor de extensão e cultura da Unicamp, doutor Fernando Hashimoto, elogiou o empenho da direção, dos professores, funcionários e alunos do Cotil, ampliando as possibilidades de aprendizado e vivências no ambiente acadêmico.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*