Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Fraternidade 2019
A CF (Campanha da Fraternidade) 2019 não teve a tradicional entrevista coletiva com o bispo dom Vilson Dias e párocos, para tratar dos tema e lema deste ano, que são Fraternidade e Políticas Públicas e “Serás libertado pelo direito e pela Justiça (Is 1, 27)”

Sem uma coletiva
A Diocese de Limeira, que passa por uma turbulência de denúncias contra o próprio bispo e um pároco de Americana, não convocou a entrevista para tratar do assunto.

Reflexos da crise
Com certeza essa crise que se abateu sobre o bispo tornou a coletiva impraticável. Dom Vilson não iria se expor e correr o risco de ser perguntado sobre as acusações, uma vez que ele ainda não falou oficialmente.

Uma batina justa
Como até agora ele não se manifestou pessoalmente, os repórteres que cobririam a coletiva iriam, invariavelmente, tratar do assunto – ou pelo menos tentar – com ele. Ele seria, sim, questionado.

Longe do ideal
Mesmo por que o tema deste ano é bastante pesado, principalmente em relação a desvios de conduta, acompanhada pelo direito e pela Justiça.

Falar é obrigação
Esta Tribuna de Limeira entende que o bispo Diocesano já deveria ter convocado uma coletiva e se manifestado pessoalmente, para desmentir – ou não – e dar sua versão dos fatos.

Vai definir data
A Tribuna consultou a assessoria de imprensa da Diocese de Limeira, que afirmou que o bispo está preparando uma coletiva para falar do assunto. Só não tem data ainda.

Vereadores a mil
A matéria sobre os requerimentos e indicações e as confusões que os parlamentares fazem entre um e outro causou bastante discussão na Câmara na sessão da última segunda-feira, 11. Waguinho da Santa Luzia (PPS), Erika Tank (PR), Nilton Santos (PRB) e Marco Xavier (PSB), falaram.

Para ser ouvido
Waguinho disse que a questão do requerimento é para ter resposta do prefeito. Indicação dificilmente é respondida… Pelo menos assumiu que faz isso mesmo.

A censura, ora…
Já Nilton Santos tratou a Tribuna de “jornaleco”. Vindo da parte dele não é de se estranhar. Faz parte do jeito Bolsonaro de se lidar com a imprensa.

Não é estranho
Para quem queria censurar a imprensa limeirense, obrigado os jornais a submeter as matérias sobre a Câmara ao crivo da imprensa de lá, não assusta. Já a Tribuna nunca o tratou como “vereadorzeco”, ainda não! E sempre deu espaço a ele, quando pediu.

Poder conflitante
Por falar em Câmara, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), manteve a liminar do vereador Clayton Silva (PSC) em vigor. A desembargadora Maria Olívia Alves, da 6ª Câmara, relatora do agravo da Câmara de Vereadores, contra a liminar, encaminhou voto nesse sentido. Por enquanto Clayton fica.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*