MOBILIDADE: Plano inicia pesquisa domiciliar na terça 5

MOBILIDADE: Plano inicia pesquisa domiciliar na terça 5

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

O Plano de Mobilidade Urbana de Limeira começa a chegar até a população, de forma concreta, na próxima terça-feira, 5. É que a empresa GPO Sistran Engenharia, que vai desenvolver o trabalho no município, dará início à pesquisa para avaliar como as pessoas se deslocam pela cidade. De acordo com nota distribuída pela Secretaria de Comunicação Social, os agentes de pesquisa estarão devidamente uniformizados e identificados. “Eles irão perguntar sobre todos os deslocamentos que foram realizados pelo morador durante o dia anterior, em quais horários foram feitos, quais modos de transportes foram utilizados e quais os motivos”, informou a nota, que explicou que essa ação será realizada até o mês de abril, exceto nas segundas-feiras.

Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, todas as informações coletadas são confidenciais e serão apresentadas para caracterização de regiões do município. “É importante frisar que não será feita referência direta ao domicílio pesquisado. A pesquisa irá abastecer a fonte de dados sobre a mobilidade urbana em Limeira”, continuou a nota. Após esta fase, uma equipe técnica-multidisciplinar fará a análise crítica das informações frente a realidade do município. Depois será apresentado o plano geral com todo o perfil avaliado. O Plano de Mobilidade visa, de acordo com a pasta, oferecer mais eficiência nos deslocamentos da população, permitindo mais segurança, fluidez e agilidade ao tráfego.

DEZ MESES
Em novembro  do ano passado, a Tribuna de Limeira trouxe matéria , mostrando que o Plano de Mobilidade terá dez meses de prazo para sua conclusão, conforme explicou o secretário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Oliveira. De acordo com ele, plano terá seis etapas, que envolverá também os técnicos da pasta, além da Secretaria de Comunicação Social, que elaborou o projeto de divulgação, já em curso, através da mídia de uma maneira geral, explicou Oliveira.

Segundo o secretário, o custo final do plano é da ordem de R$ 1,245 milhão e, como se trata de uma lei municipal, tal como o Plano Diretor Territorial, é necessária sua conclusão para colocá-lo em prática, o que deve acontecer em agosto deste ano, e deverá, ainda, passar pelo crivo da Câmara de Vereadores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*