Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Parada estratégica
A política local está com sono. Com o recesso parlamentar, os vereadores vão dar um tempo e, alguns deles, aproveitar para comemorar os cargos assumidos na Mesa Diretora da Casa.

Trabalho continua
O recesso, é bom que se diga, é só parlamentar. Por que para os funcionários do Legislativo – com exceção daqueles que têm férias marcadas para o período – é só para lamentar mesmo.

Feriadão. E só isso
Só resta, então, depois do feriadão de Natal, o feriadão do ano novo, que também não será tão feriadão assim. Tem a posse da nova Mesa Diretora.

Os olhos no futuro
Pelos lados do Prada, também o feriadão de ano novo. Que vai fechar 2018 e abrir 2019. Depois disso, mais um ano inteiro de trabalho, que já deve estar voltado para 2020, mesmo sendo 2019.  Daqui a dois anos tem eleição municipal e o trabalho será dobrado.

É o futuro logo ali
Todos, com certeza, vão querer abrir o ano novo de 2021, pensando na recondução aos atuais mandatos. E tomando cuidado para estar sendo empossado e sem sustos. Muito difícil que não seja assim.

E está chegando
Ano novo, vida nova. Como se costuma dizer. Será que teremos ano novo e secretários municipais novos? Expectativas normais, mas o que tem de olhão grandão sonhando com isso… E olhinho murchinho que podem se encher de lágrimas.

França não veio…
… a Limeira. Mas Limeira foi até França. O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), que entrega o cargo na próxima terça-feira, 1º, recebeu o título de Cidadão Limeirense na capital paulista, na última sexta-feira, 21, das mãos do vereador Wagner Barbosa, também do PSB.

Charminho antes
França não achou tempo para vir à cidade receber o título, “por relevantes serviços prestados a Limeira”. Resta saber o que se quer dizer com o termo “relevante”.

Mudança de lado
A pouco mais de 48 horas da posse do presidente da República e dos governadores de estado, o país se prepara para uma reviravolta em sua política. Vai da esquerda – ou pretensa esquerda – para a extrema direita. Tanto no país como em alguns estados da Federação. E, apesar da sigla PSDB, João Dória Júnior também se enquadra nessa linha.

Esperança e medo
Apesar da expectativa e do otimismo de vários setores da sociedade, principalmente aqueles mais alinhados à direita, há uma preocupação por parte das minorias que hoje têm seus direitos reconhecidos e também em relação à liberdade de imprensa.

Constituição jurada
Jair Bolsonaro (PSL) vai jurar respeito à Constituição Federal no dia da posse. Mas entre esse juramento e a posse e o seu perfil político e pessoal, há uma distância perigosa até o estado democrático e de direito.

O começo e o fim
O que se espera é, justamente, que o começo de seu governo não signifique um baque nas liberdades democráticas. Ele assumiu um compromisso com o respeito ao regime atual, mas já provou praticamente que não é o seu forte.

Que 2019 floresça
O negócio é esperar e acreditar na mudança necessária. Não na desnecessária e obsoleta. Ou no retorno da obscuridade política e ideológica. Que assim seja.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*