SEM INFORMAÇÕES: Como estão os viadutos em Limeira?

SEM INFORMAÇÕES: Como estão os viadutos em Limeira?

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Limeira possui inúmeros viadutos de grande porte e alguns deles com mais de 30 anos. Embora não disponha dessas informações, ou elas já estejam “depositadas” em arquivo morto, conforme informou a Secretaria de Obras e Serviços Públicos, através de nota enviada pela Secretaria de Comunicação Social, dificilmente se saberá se houve ou quais foram as últimas avaliações técnicas detalhadas de cada um deles. A Tribuna de Limeira levantou esse debate logo em agosto deste ano, após a queda do viaduto Morandi, em Genova, Itália e que deixou mais de quatro dezenas de mortos. A partir da primeira matéria, outras foram realizadas, e a prefeitura anunciou uma vistoria mais detalhada do Viaduto Jânio Quadros, o mais antigo de todos eles, inclusive do próprio viaduto italiano, que de acordo com a pasta já foi feita, porém ainda sem um laudo técnico concluído e divulgado.
Na madrugada do último dia 15 de novembro, início do feriadão de quase uma semana, outro viaduto, agora em São Paulo, na Marginal Pinheiros, cedeu dois metros e a prefeitura de lá também não dispõe de dados técnicos detalhados e nem sabe o que fazer para recuperá-lo, conforme a própria prefeitura da capital informou. Nesse sentido, a Tribuna voltou a questionar a Prefeitura de Limeira sobre o número de grandes viadutos existentes no município e seus históricos. De acordo com a Secretaria de Obras e Serviços Públicos, uma comissão de avaliação técnica iniciou vistorias pelo Jânio Quadros, “que é um dos mais antigos”, e irá também fazer o mesmo trabalho com os demais. “Uma vistoria já foi realizada e poderá haver outras vistorias no próprio Jânio Quadros”, informou a pasta.
Segundo a secretaria, comissão está elaborando o parecer técnico dentro do cronograma traçado, mas é importante ressaltar que não foi constatada nenhuma anomalia que possa oferecer risco de desabamento. “Se na vistoria tivesse sido constatada alguma anomalia grave, a secretaria iria priorizar os serviços de manutenção”, lembrou a nota. Os viadutos Laranjeiras e Laércio Corte (esse entre os mais antigos) receberam manutenção nas cabeceiras. “O primeiro nas duas cabeceiras e o segundo, na cabeceira voltada para a Avenida Campinas”, explicou a nota da Obras e Serviços Públicos. Ainda conforme a secretaria, o Jânio Quadros recebeu manutenção na cabeceira voltada para a Rua Tiradentes neste ano de 2018, mas não há informações acerca de eventuais estudos técnicos realizados ao longo e após a conclusão das obras.

MAIS ANTIGOS
O município tem hoje, grandes viadutos e pontes, porém informações técnicas mais detalhadas sobre eles, como data de suas respectivas inaugurações ou não existem ou já fazem parte do arquivo morto da prefeitura, conforme informou a secretaria. Entre os mais antigos estão o Jânio Quadros (cuja inauguração aconteceu em meados dos anos 1960), Laércio Corte, Paulo Natal, Antonio Feres, Vinte de Junho e Laranjeiras, além do Viaduto Paulo D’Andréa, inaugurado em 2016, o mais novo de todos eles. Sobre vistorias anteriores a todos eles, a Secretaria de Obras e Serviços Públicos afirmou que não dispõe dessas informações. Já o Antonio Feres, entre os mais recentes, encontra-se com uma de suas alças interditadas devido a vários afundamentos, após manutenções e não tem data para prevista para os devidos reparos. “Quanto a essa situação, a atual administração busca recursos da ordem de R$ 3 milhões para realização da obra”, finalizou a pasta.

Morador aponta falhas e pede sinalização

Enquanto a reportagem da Tribuna percorria alguns dos viadutos de Limeira, ao chegar no Paulo Natal, que liga a Avenida Campinas ao Jardim Nova Suíça, um morador de uma das ruas laterais, César Félix, apontou alguns problemas na sua estrutura. Entre os problemas, um deslocamento de cerca de 15 cm da mureta que sustenta a grade de proteção para pedestres, em ambos os lados. O morador pediu, ainda, que a prefeitura melhore a sinalização do local, para evitar acidentes. No momento em que ele conversava com a reportagem, um motociclista derrapou com a moto em uma das alças de acesso, mas sem se ferir com gravidade.
Segundo o morador, que disse ter conversado com o prefeito Mario Botion (PSD), ao vivo em um programa de rádio, ele já havia alertado sobre as melhorias no local. Ele chegou a presenciar uma pessoa idosa, que frequenta o Centro do Idoso, caindo na calçada do viaduto, por que na cabeceira a água da chuva empossa, por que no final do declive da calçada há um desnível e, sem escoamento, a água se acumula, dificultando a passagem. “O que nós precisamos, com urgência, é uma considerável melhora na sinalização de solo, para evitar, inclusive, que motoristas trafeguem na contramão pelas alças, o que ocorre com frequência”, finalizou o morador. (Antonio Claudio Bontorim).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*