Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Intempestividades
A atitude dos vereadores Clayton Silva (PSC) e Pastor Nilton Santos (PRB), da chamada “bancada bíblica” municipal, em relação à exposição de artes, de alunos da Faal (Faculdade de Artes e Administração de Limeira), que viralizou nas redes sociais, foi tão ridícula, que morreu no mesmo dia após eles divulgarem as fotos.

Assim a casa cai
Ambos, que tentam ser os donos da consciência alheia, começaram a construir a casa pelo telhado. Esqueceram-se do alicerce. Ou seja, por que não foram se informar antes de passarem por esse “carão” público.

Censores atuais
O que fizeram foi uma tentativa de censurar a arte e provocar um debate inútil. Isso, infelizmente, faz parte desses dias de intolerância e estimula à ignorância, que estamos vivendo. Pareciam os antigos censores, que se postavam nas redações da imprensa, durante a ditadura militar.

Faltou noção geral
Os dois edis perderam a oportunidade de agir de forma coerente, informando-se sobre a exposição e como seria a mostra dos desenhos que tanto criticaram – e expuseram deliberadamente à vista de todos – tornando claro que pouco entendem de liberdade de expressão e produção artística, que são preceitos constitucionais.

Corte da inquisição
Esse é o problema daqueles que restringem o campo de visão, esquecendo-se que há vida em sua volta e não apenas em linha reta. Mais um triste episódio que, futuramente, estará no folclore político limeirense. Será que se transformarão em juízes do erotismo alheio?

Vira, vira, virou…
Com essa atitude, até o grande inquisidor Tomás de Torquemada deve ter girado como um ventilador em seu túmulo. Se é que ainda tem um.

Por que não fala
O secretário da Saúde, Vitor Santos, continua mantendo sua postura de não falar à imprensa. Mesmo quando são assuntos importantes e ligados diretamente à sua área. Vitor Santos, anunciado através de release da Secretaria da Comunicação Social só fala pela escrita.

Silêncio estranho
Em outubro, esta coluna já havia mostrado a situação, quando do anúncio da vinda do curso de medicina para Limeira em três notas (Entrou mudo…, …e Saiu calado e Não entenderam). Todos falaram, menos o secretário da Saúde e sobre o curso de medicina. Santos é médico.

Mais. E menos
Desta vez é sobre a questão envolvendo a saída dos profissionais cubanos do Mais Médicos. Desta vez foi a jornalista Renata Reis, em sua coluna Percepções, na Gazeta de Limeira, quem deu o recado, ao reclamar que ele só fala através de releases.

Clara e objetiva
A jornalista foi clara e objetiva em sua coluna. O jornalismo está à disposição para informar tudo, não apenas divulgar informações que convém a única parte. Difícil. Assim fica difícil.

Coletiva. O que é?
Ainda no episódio da nomeação do secretário, a Tribuna de Limeira cobrou profissionais da Secretaria da Comunicação sobre o porquê de não ter sido convocada uma coletiva para anuncia-lo e apenas distribuído release. Naquela oportunidade a resposta foi que Santos queria 60 dias para avaliar as condições a pasta e falaria posteriormente.

Matemática falha
Vitor Santos foi nomeado em julho e, portanto, há cinco meses. Muito mais que os dois meses iniciais. E até agora… nada! Só mesmo fala escrita.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*