Senso&Consenso: Sujeitos nada ocultos e sem verbos II

Senso&Consenso:  Sujeitos nada ocultos e sem verbos II

Não pretendia dar continuidade a este texto, mas algumas situações me chamaram a atenção sobre a questão das disputas raivosas travadas via redes sociais entre partidários dos candidatos à Presidência da República. O discurso de ódio, apesar dos últimos acontecimentos, continua. E se até a vítima de seu próprio discurso mantém sua atitude em relação aos adversários, de dentro de um hospital onde convalesce, por que não esperar que seus seguidores também o fizessem? E até mesmo com ódio maior ainda. Onde isso tudo vai acabar ainda é incerto. A verdade é que muitos que poderiam agir como pacificadores são os que mais insuflam as discussões, que há muito tempo deixaram de ser debate, para ser uma guerra declarada e fratricida, que atinge até mesmo pessoas da própria família. Em vez de usarem as palavras em favor de uma consciência apenas pelo embate ideológico partem para o belicismo desenfreado.
Sem remorsos ou comedimento, usam e abusam de terminologias que incitam a violência e, principalmente, trucidam a língua pátria com erros grotescos de concordância verbal, esquecendo-se das regras básicas do uso da palavra escrita e da necessidade de, pelo menos, mostrar conhecimento daquilo que estão dizendo. Não mostram e erram na narração de fatos históricos, apenas para agradar a turba, que hoje se dispõe a apoiar e estimular ao desrespeito com o seu semelhante. Apenas por que pensa diferente. Há tempos não se via e nem ouvia tantos disparates e tamanha incoerência de parte da sociedade, que usando da liberdade de expressão e do direito à opinião, tentam a todo custo justamente cercear o mesmo direito àqueles que discordam e vão pela via reversa.
Lutamos e sofremos muito para alcançar a liberdade de imprensa e de expressão do pensamento próprio, sufocada durante os 21 anos da ditadura militar, que muitos dos que hoje têm essa liberdade assegurada nem sabem quantos sofreram para conquistar esse direito, muitos dos quais morreram para assegurar esse legado, e preferem ir justamente na direção contrária. E isso vale para todos os lados. À direita, à esquerda ou ao centro e até mesmo aos extremos dessa irracionalidade. E quando pessoas são atacadas apenas por que expressam suas próprias opiniões é a liberdade que cada um tem em se manifestar, que está sendo atacada. Inclusive a dos próprios agressores, que não se limitam ao debate, por desconhecerem o verdadeiro sentido da palavra. Não sabem, de fato, nem pelo que estão brigando. E se têm consciência disso, esqueceram-na em algum cantinho escuro do cérebro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*