Projeto urbanístico confirma rodoviária

Projeto urbanístico confirma rodoviária

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

A área da antiga Cia União, de 132 mil m2 (metros quadrados), abandonada há mais de uma década após ser adquirida pela HBS Participações, pode finalmente ter sua destinação definida. O anúncio oficial de investimentos da ordem de R$ 1 bilhão aconteceu no dia 5 de dezembro do ano passado, durante entrevista na sala de reuniões do Gabinete do prefeito, feito pela proprietária da área, que falou de algumas contrapartidas para o município, como a nova estação rodoviária, noticiada em primeira mão pela Tribuna de Limeira. O processo de investimentos agora deve ser viabilizado após aprovação de projeto do Poder Executivo, que o prefeito Mario Botion (PSD) enviou à Câmara de Vereadores na última segunda-feira, 2. Trata-se do Projeto de Lei Complementar nº 18, que além das condições de como deve ser utilizada a área, prevê a construção do terminal intermodal de passageiros (estação rodoviária), que deverá ser construído de frente para a Avenida Antonio Eugênio Lucato, a Marginal Oeste do Ribeirão Tatu.
A lei determina os parâmetros urbanísticos da área onde funcionava a refinaria de açúcar da Companhia União, inclusive prevendo estudos e relatórios de impacto com a vizinhança local, e a proposta, se aprovada, permitirá que os investidores iniciem empreendimentos nos imóveis entre os bairros Vila Camargo e Boa Vista, onde funcionava a planta industrial da refinaria e o pátio. A minuta do projeto já havia sido aprovada pelo Complan (Conselho Municipal de Planejamento e Gestão Territorial Ambiental de Limeira) em junho. O projeto de Lei encaminhado ao Legislativo, de acordo com nota distribuída pela Secretaria de Comunicação Social, define as contrapartidas e os parâmetros e coeficientes urbanísticos. De acordo com a Secretaria de Urbanismo, os imóveis que abrigavam a antiga refinaria ficam situados numa região determinada pelo Plano Diretor como ZIE (Zona de Intervenção Estratégica) 2.

Os investimentos prováveis serão nos setores comerciais e de serviços. Já na área em que abrigava o pátio de caminhões e demais veículos utilizados durante o funcionamento da refinaria será destinada para empreendimentos habitacionais, sendo parte voltada para habitação de interesse social. Nesse espaço, os investidores – também como contrapartida – irão implantar um parque urbano linear. “Com o anúncio dos investimentos no local, bairros antigos de Limeira, como a Boa Vista e a Vila Camargo, terão um aspecto de revitalização importante”, finaliza a nota. Todos os projetos, inclusive os arquitetônicos serão de responsabilidade da empreendedora, que tem, inclusive, prazos específicos determinados no projeto, que devem ser obedecidos assim que ele for aprovado pelos vereadores.
Em abril do ano passado, a Tribuna entrou em contato pela primeira vez com a HBS Participações, da cidade de Santo André-SP, que à época disse que tudo estava como antes, mas não descartou a possibilidade um grande projeto para a área, desde que a economia se recuperasse. No final de novembro, também de 2017, em novo contato com a HBS, a Tribuna obteve a informação, à época não confirmada pela empresa e nem pela prefeitura, sobre a construção da rodoviária como contrapartida ao município. Uma semana depois uma coletiva foi convocada, quando empresa e prefeitura anunciaram, então, os projetos, os valores de investimentos e, também, a nova estação rodoviária.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*