IMÓVEIS À VENDA: Processos devem começar em 60 dias

IMÓVEIS À VENDA: Processos devem começar em 60 dias

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Em no máximo 60 dias deve começar a venda dos 11 imóveis da prefeitura, que podem render ao município, mais especificamente ao FMDL (Fundo Municipal de Desenvolvimento de Limeira), para o fomento do desenvolvimento econômico local, cerca de R$ 2,3 milhões. A expectativa é do prefeito Mario Botion (PSD), que na quinta-feira, 14, falou à Tribuna de Limeira sobre essa expectativa. De acordo com ele, a prioridade agora é no máximo em 60 dias publicar os editais e iniciar o leilão desses imóveis. “Como consideramos um passo importante para o desenvolvimento do município, está tudo aprovado, sancionado e publicado no Jornal Oficial do Município, e o próximo passo é iniciar as vendas”, disse Botion. O dinheiro a ser arrecadado, conforme foi publicado no último sábado, 9, e a Tribuna mostrou em sua edição passada, deve ir direto para o FMDL para a implantação de um distrito industrial.
Segundo o prefeito, como não há impugnações e nem contestações, ele acredita que esses prazos sejam de fato os mais rápidos possíveis. “Só não está a área do antigo aeródromo, com mais de 230 mil m2 [metros quadrados], em processo de permuta com outra, que será utilizada para a implantação do distrito”, lembrou, enfatizando que os recursos vão direto para o FMDL, que investirá também no Parque Tecnológico de Limeira e na incubadora de empresas. Já a Secretaria de Urbanismo informou a Tribuna que dos 11 imóveis, dez são áreas de terra e um tem construção. “É uma área na Vila Queiroz, outra no Jardim Nova Europa e mais uma no Jardim Hortência, duas no Jardim Residencial Vitória e outras seis no Parque Residencial Anavec”, detalhou o Urbanismo. Ainda conforme a pasta, pelas avaliações de mercado, como constam do edital, os dois mais baratos estão no Vitória, ambos na Rua José Modesto de Abreu (números 81 e 333) e custam R$ 94.148,60 cada. E, o mais caro, na Rua Luiz Santucci, 115, no Anavec, ao preçco R$ 508.850,00. “O que tem área construída também fica no Anavec, na Rua Florindo Bosco, 68, custando R$ 210.648,89. E o maior, em área, com 1.449,79 m2, está localizado na Rua Naba Higa, 322, no Residencial Aeroporto”, lembrou o Urbanismo.
A secretariaa afirmou, também, que não há ordem de importância e nem prioridade nessa ou naquela área, pois todos são imóveis urbanos sem uso, que serão comercializados em lotes individuais, aos interessados que apresentarem proposta aos editais de leilão. A pasta confirmou, também, que toda arrecadação pecuniária com as vendas dos imóveis serão revertidos integralmente ao FMDL e terá a finalidade de atrair investimentos para o município.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*