Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Um tiro certeiro
Conforme esta coluna adiantou em sua última edição, a “brincadeira” sertaneja dos vereadores Clayton Silva (PSC) e Marco Xavier (PSB) teve pedido de CP (Comissão Processante) protocolado, lido e votado na sessão ordinária da última segunda-feira, 21.

Com alvo errado
O pedido, entretanto, não alcançou os 11 votos favoráveis – foram nove – e o assunto foi mesmo para a Corregedoria da Câmara.

Canhão em mosca
Apesar da gritaria e dos discursos éticos em torno do tema, exaltando o pedido de um cidadão limeirense, esta coluna mostrou, também, que não era para tanto. Não havia necessidade disso tudo. A Corregedoria, se agir da forma adequada, é o caminho.

Medão de injeção

Antes, porém, os discursos após a leitura do pedido do cidadão Sebastião Augusto Alexandre (conhecido pelos posts em redes sociais), foram espetaculosos. Cada um puxando a ética para o seu lado e tirando o braço da agulha da seringa.

A crise de ciúmes
Já o corregedor da Casa, vereador Nilton Santos (PRB), quase chorou ao expor que o assunto deveria ser tratado na Corregedoria e não em uma CP. Foi o primeiro a mostrar o voto contrário a uma eventual abertura de comissão processante. Depois vieram outros.

E foi com força!
Todos os que falaram, entretanto, deram um puxão de orelhas nos dois vereadores-cantores. A dupla Claytos & Xavier. Primeiro o elogio, mãozinhas passando na cabeça e, depois, o puxão de orelhas. E com alicate.

Não fui. Nem eu
A maioria preocupadíssima, inclusive, em negar a participação no fatídico churrasco.

Do lado do povo?
Muitos vereadores não perdem, entretanto, a oportunidade de jogar para a plateia. E é isso que desgasta a política e os políticos. Não são as brincadeiras feitas em churrascos ou na descontração de reuniões informais. Essas passam e se perdem no tempo.

Empate técnico
Pode se dizer que houve um empate técnico entre os favoráveis e os desfavoráveis: 9 a 9. O presidente da Casa não votou, assim como os dois vereadores alvo do pedido de CP. Portanto, sem os 11 votos necessários, agora é a Corregedoria quem vai se encarregar da apuração.

Pelo sim! Senhor
Votaram a favor, Anderson Pereira (PSDB); Carolina pontes (PSDB); Darci Reis (PSD); Dra. Mayra Costa (PPS); Erika Tank (PR); Estevão Nogueira (PRB); Jorge de Freitas (PEN); Lemão da Jeová Rafá (PSC) e Toninho Franco (PR).

E pelo não, nunca
E contrários, Constância Felix (PDT); Dr. Marcelo Rossi (PSD); Dr. Rafael Camargo (MDB); Helder do Taxi (MDB); Lu Bogo (PR); Mir do Lanche (PR); Nilton Santos (PRB); Wagner Barbosa (PSB) e Waguinho da Santa Luzia (PPS).

E nos bastidores

Há quem jure de pés juntos e mãos aos céus, que houve uma pressãozinha do Gabinete do Prada para que a CP fosse aprovada. A quem interessar possa, seriam dois a menos na oposição, caso se chegasse às vias de fato, ou seja, cassação de Clayton e Xavier.

Churrasco e urna
Longe desse bafafá, partidos começam a se movimentar para as eleições de outubro. Pelos discursos na Câmara, no caso do churrasco, indícios mostram que alguns caminham para ter seus nomes nas urnas. Ou pelo menos sonham com isso. Especular não mata ninguém. E nem tira pedaço.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*