Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Cobrança na cara
Vídeos gravados e divulgados nas redes sociais, na reunião da Câmara sobre as farmácias municipais com a participação da população e o prefeito Mario Botion (PSD), viralizaram na internet.

Encosta na parede
Um munícipe cobrou fortemente o prefeito sobre o problema, após o programa de redução do número de farmácias nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde). Pelo silêncio de Botion, que ouvia a cobrança, a saia foi justa demais.

Pisa duro no calo
Até hoje, após o fechamento de várias farmácias, inclusive em áreas mais afastadas, é uma pedra no sapato da atual administração, que apesar de tentar explicar o problema, não conseguiu convencer ninguém. Principalmente aqueles que sofrem com a falta de remédios e poucas farmácias.

Contando até dez
A situação está bastante difícil para o estafe do prefeito no que diz respeito a contornar as críticas à atual gestão, cada vez mais pesadas e vindo de todos os lados. Inclusive o do chamado fogo amigo.

Tem fumaça, tem…
… fogo. Já que o assunto é saúde, a questão das queimadas em Limeira, conforme mostrou esta Tribuna, continua sendo um problema sério. Defesa Civil diz que haverá campanha de conscientização, mas não falou quando vai começar.

Mangueira aberta
A prefeitura de Cordeirópolis, ao contrário, já começou suas ações nesse sentido. Na última segunda-feira, 7, com a semana de combate às queimadas. A situação, daqui para frente, tende a se agravar. Por isso é importante agir rápido.

E vai rolar a festa
Por falar em Cordeirópolis, o Município já deu início aos preparativos dos 70 anos de emancipação política, que será comemorado no próximo dia 13 de junho. As festividades começam no dia 9.

Por horário flexível
A Acil (Associação Comercial e Industrial de Limeira) emitiu, na última quarta-feira, 9, nota favorável à flexibilização do horário comercial em Limeira, conforme proposta do vereador Wagner Barbosa (PSB), que vem sendo discutida na Câmara.

Pelo lado do patrão
A entidade patronal cita a transformação da cidade como de “interesse turístico” e se utiliza de argumentos como aumento do nível de emprego e respeito aos direitos trabalhistas caso isso ocorra. Entre outros.

Posição divergente
Já o Sinecol, sindicato que representa os trabalhadores no comércio, defende, como outras entidades representativas da categoria, um posicionamento diferente e reclamam da falta de diálogo justamente com a classe trabalhadora, que também é interessada direta nessa mudança.

Mais divergências
A própria USTL (União Sindical dos Trabalhadores de Limeira), da qual o Sinecol é filiado, procurou o presidente da Casa, Zé da Mix (PSD) para expor a situação e pedir a participação dos trabalhadores na discussão.

Ponto e contraponto
Como toda moeda tem dois lados, é importante que nesse caso, todos sejam ouvidos e levados em consideração. O vereador, que apesar do partido, de socialista não tem nada, tem obrigação de ponderar sobre essas duas vertentes. Atender a apenas um dos lados dessa cadeia produtiva é, no mínimo, desconhecimento de causa. Ou até má fé!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*