Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Redação
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Cada vez melhor
Está cada dia mais interessante o disque-me-disque entre os candidatos o governo do Estado, que diz respeito a Limeira sim, por que somos também parte desse estado de coisas, como tucano apoiando tucano, tucano espantando tucano e apadrinhados querendo o apoio também de tucano, mesmo não sendo da mesma espécie.

Vai muito longe
Essas disputas, mais por vaidade do que por qualquer outro motivo político ou interesse eleitoral, representam a marcação de terreno. Cada um fazendo xixi na sua roda, para espantar o adversário. Ano de eleição é assim mesmo, dá muita munição…

Por aqui, uma paz
Essa briga de egos, por enquanto não chegou até aqui. Entre os prováveis e futuros candidatos à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal. Ninguém se arriscou ainda em se afirmar como tal. Apenas os balões voando leves e soltos, conforme esta coluna mostrou na semana passada.

Na mesma língua
O prefeito Mario Botion (PSD) e o vice, Dr. Júlio (DEM), começam a aparecer juntos novamente. Inclusive com divulgação e tudo mais. A distância regulamentar entre os dois parece estar diminuindo. O discurso está, novamente, afinado, como se viu na abertura da Campanha do Agasalho 2018.

Deve assumir, sim!
Por falar em vice, há uma corrente até mesmo entre médicos, que quem deve assumir a Saúde é, de fato, o Dr. Júlio. Um desses médicos confidenciou à coluna, recentemente, que não há empecilhos para que ele assuma a secretaria em Limeira.

E o tempo passa
E lá se vão quase cinco meses desde o pedido de demissão de Gerson Hansen Martins da Secretaria da Saúde.

Para o usuário…
… nunca. Brincar com o dinheiro do contribuinte é fácil. O contribuinte, se não pagar, é penalizado. Se pagar não faz mais que a obrigação. Mesmo que não seja sua obrigação. Para as concessionárias, é sempre o equilíbrio financeiro que conta. O desiquilíbrio do usuário, nunca é levado em consideração.

Sempre a ameaça
Se isso ou aquilo acontecer, tome reajuste em tarifas. E sempre o equilíbrio financeiro como argumento. Sejam essas tarifas de quais serviços forem.

Por que ele vetou
Tanto é que na última segunda-feira, 23, o prefeito Mario Botion (PSD) enviou veto à Câmara para ser apreciado pelos vereadores, sobre proposta aprovada lá de a BRK Ambiental não cobrar mais por religação de água, com essa justificativa. Não encarecer o custo do serviço ao usuário.

Tem culpa igual
Vale lembrar, também, que o Poder Público também tem culpa nessa situação, quando aceita alguns termos. Nunca questiona se a situação é real ou não. Nunca negocia condições que se ajustem também aos usuários. O pensamento é unilateral. Vale para um lado só.

Hora de repensar
É bom lembrar, também, que a atual concessionária não tem nada a ver com isso, assim como a atual administração. Apenas estão se utilizando de cláusulas contratuais que garantiram tais privilégios. E pelo sim e pelo não, contrato – bom ou ruim – tem que ser cumprido.

Seria bom teste
Será que os vereadores teriam coragem de derrubar o veto do prefeito ao projeto que extingue a cobrança de religação de água? Será que os nobres edis teriam uma ação efetiva em peitar o Poder Executivo? Fica a dica!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*