Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Esse pedaço é meu
Na semana que antecedeu ao retorno dos vereadores às sessões ordinárias, alguns deles já deram a largada à divulgação de suas atividades e, ao longo do período, mostraram o que querem junto a opinião pública. O ano político já começou para valer.

Não vai ser fácil
Quem vai e que não vai se arriscar à disputa eleitoral em outubro, ainda é uma incógnita, embora os nomes de alguns ‘candidatáveis’ são conhecidos e até naturais. Aí vai depender se terão lastro para a disputa ou não.

E vai ter disputa
O deputado federal Miguel Lombardi (PR) não está mais só na disputa pela disputa de sua reeleição vaga na Câmara Federal. De antemão, como mostro esta Tribuna, ele terá concorrência forte com a iniciativa da USTL (União Sindical dos Trabalhadores de Limeira).

Largou na frente
A USTL já adiantou que vai ter candidatos próprios à Assembleia Legislativa e Câmara Federal, para concorrer junto a frentes trabalhistas já existentes. Resta saber se esses candidatos serão de Limeira ou não.

Vantagem sólida…
Lombardi, mesmo sem o “puxador” Tiririca, sabe que tem uma vantagem solidificada pela administração Mario Botion (PSD), que com certeza vai trabalhar em todas as frentes para reelegê-lo. Terá, sim, que gastar muita saliva e sola de sapato. O chamado três ‘s’ da política.

Consenso necessário
E, com certeza, ele (Lombardi) terá que ter um poder de aglutinação em torno de seu nome. Se vai conseguir ser o candidato dos limeirenses e, dessa forma, unir forças políticas até mesmo antagônicas ainda é cedo para dizer.

A prova dos nove
Ao apoia-lo, Botion também estará colocando sua administração em julgamento junto à opinião pública. Mais que isso, seu próprio futuro político. Se conseguir emplacar Lombardi para um segundo mandato com seu apoio, vai deixar os adversários com as barbas no molho.

Fechando a porteira
Difícil, mesmo, é segurar os forasteiros. Aqueles candidatos que vêm a Limeira uma vez a cada quatro anos e sempre levam preciosos votinhos dos eleitores e depois somem novamente. É uma cultura que vem de muito longe.

Ainda sem titular
Começou fevereiro e a Secretaria da Saúde do município continua com seu interino, Edison Moreno Gil, que também é secretário-chefe de Gabinete do prefeito. Faltam profissionais no mercado ou o serviço público já não atrai tanto assim para os chamados cargos comissionados?

Sem glamour
As questões envolvendo cargos públicos comissionados vêm dando dor de cabeça também ao presidente Michel Temer (MDB). E a desconfiança com a política como um todo é, com certeza, uma das dificuldades enfrentadas por gestores públicos, para preencher alguns cargos. Mesmo que com salários atrativos.

Uma dúvida a mais
Quem pretende ‘censurar’ professor em sala de aula pode debater sobre direitos fundamentais da pessoa humana?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*