EM 2017: radares rendem R$ 10,5 mi em multas

EM 2017: radares rendem R$ 10,5 mi em multas

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Depois de um período de baixa incidência de multas aplicadas por radares fixos em Limeira, e mais de 15 meses sem qualquer tipo de fiscalização de velocidade por radar, após o rompimento do contrato com a empresa que operava o serviço, ainda no governo Paulo Hadich (PSB), em abril de 2015, o município volta a arrecadar com as multas. No ano passado, com o funcionamento pleno dos radares fixos, foi de R$ 10.473.866,82. Um aumento de 595% em relação a 2016, cuja arrecadação foi de R$ 1.505.631,37. Essa diferença, entretanto, segundo o que disse secretário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Oliveira, à Tribuna de Limeira, se deve em razão de, naquele ano, os radares começaram a ser reinstalados, passando a operar apenas no segundo semestre. Durante o primeiro ano sem os radares fixos, a partir de 2015, conforme mostrou a Tribuna, em maio de 2016, o município deixou de arrecadar R$ 5,5 milhões, dos R$ 6,3 milhões previstos.
Segundo o secretário, o município tem, hoje, nas ruas e avenidas 42 equipamentos instalados, monitorando 94 faixas de rolamento. “Esses equipamentos começaram a ser instalados em julho de 2016. Naquele mês foram três, em agosto mais 13, em setembro outros nove, em outubro sete e, em dezembro, cinco, sendo que os demais foram instalados no ano passado”, disse Oliveira. No mês a mês, janeiro de fevereiro, com R$ 163.043, 61 e R$ 155.611,55, respectivamente, foram os de menor arrecadação, ficando para outubro e dezembro, os maiores registros, com R$ 1.192.745,53 e R$ 1.618.476,82. A partir de março esses valores foram aumentando com pequenas variações, até chegar aos R$ 10,5 milhões ao longo de todo o ano.
O local de maior incidência de multas, registrado por excesso de velocidade, de acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, é o radar da Via António Cruañes, localizado no km 15 + 600m. “Aliás é justamente a velocidade superior à máxima permitida em 20%, a infração de maior ocorrência”, explica o titular da pasta. E a arrecadação, em 2017, só não foi maior, por que foram canceladas 24,9 mil multas, aplicadas no cruzamento das Avenidas Fabrício Vampré e Gumercindo Araújo, cujo valor final chegava aos R$ 3,6 milhões. O cancelamento se deu devido a velocidade limite, determinada pela administração Hadich, de 40 km/hora, e que já era de 60 km/hora, antes das mudanças, causando confusão aos motoristas. Com relação aos radares móveis, que deixaram de operar em janeiro de 2016, segundo a Mobilidade Urbana, não há nenhuma previsão e nem prazos para que voltem a operar no município.

Veja arrecadação mês a mês das multas aplicadas pelos radares fixos em Limeira, ao longo de 2017.

Janeiro            R$ 163.043,61
Fevereiro        R$ 155.611,55
Março             R$ 280.543,68
Abril                 R$ 547.993,18
Maio                R$ 947.908,10
Junho               R$ 1.113.161,81
Julho                R$ 1.023.664,58
Agosto             R$ 1.214.109,64
Setembro        R$ 1.104.889,82
Outubro          R$ 1.192.745,53
Novembro      R$ 1.111.738,50
Dezembro       R$ 1.618.476,82

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*