“Cantar a realidade é o que eu faço”, diz Rodrigo José

“Cantar a realidade é o que eu faço”, diz Rodrigo José

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

O estilo musical é melódico, simples e canta o amor real, que é imperfeito. Assim o cantor Rodrigo José define a música brega, da qual se tornou um dos seus grandes e atuais intérpretes, com mais de 12 milhões de visualizações em seu primeiro videoclipe. Além de participação em importantes programas da televisão brasileira, como o Domingão do Faustão, Altas Horas, de Serginho Groisman, Encontro, com Fátima Bernardes, The Noite, com Danilo Gentille, entre outros, como revelou em entrevista à Tribuna de Limeira, na manhã da última quarta-feira, 14. Natural de Americana, onde descobriu o gosto por esse tipo de música ao encontrar uma caixa de discos de vinil da mãe, aos 12 anos, hoje ele interpreta artistas considerados ícones da música brega, como Evaldo Braga, Odair José, Nelson Ned, Almir Rogério, Reginaldo Rossi, Valdik Soriano, Zé Augusto, Ângelo Máximo e outros.
Rodrigo José estará em Limeira no próximo dia 24, dentro da programação do mês de fevereiro do Teatro Vitória, quando estará divulgando seu mais novo DVD Rodrigo José ao Vivo com obras autorais e apresentando seu repertório com histórias e interpretações dos grandes nomes da música brega, que para ele é a mais “pura definição do amor real, aquele que não é perfeito e acaba sempre traduzido nas letras das músicas que falam de abandono, traição e despedidas”. Durante a entrevista, concedida na Redação da Tribuna, o cantor lembrou que apesar da simplicidade das gravações, mixagem e arranjos utilizados pelas gravadoras, à época, dos grandes sucessos do brega, foram eles os que mais venderam discos, em detrimento à elite musical e cultural que tomava conta do país, nos anos 1970 e 1980. “Simplesmente por que a música brega reflete o amor e o brasileiro tem dificuldade em falar de amor, tem preconceito mesmo, com esse amor cantado em canções como ‘Eu vou tirar você desse lugar’, de Odair José; ‘Tenho’, de Sidney Magal, entre outras tantas que interpreto”, lembrou o cantor.
Ao se dedicar a esse estilo musical, Rodrigo José diz que seguiu o seu coração, abandonando a promissora carreira de engenheiro, na qual trabalhava, dando vazão à paixão pela música, inclusive interpretando Elvis, da fase Las Vegas, e outros estilos, como blues, rock e soul. “Que também têm seu lado brega, pois falam do mesmo amor que eu canto hoje. As histórias reais de amor e não de romances perfeitos e de contos de fada”, afirma. Com estilo próprio e bastante característico de uma época, e uma banda com dez elementos, a Chick 10, e vocalistas de apoio, completam seus shows e que estará trazendo a Limeira, no próximo dia 24. “São duas horas de músicas, algumas de minha própria autoria, como Eu te amo e Rosana, além dos nomes conhecidos que eu já citei. Um show de duas horas de duração, que com certeza vai trazer à tona muitas lembranças às pessoas que viveram àquela época”, finalizou Rodrigo José, que tem na bagagem dois CDs e um DVD independente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*