Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Ter ou não ter
Mesmo com toda a situação envolvendo o líder máximo do partido, o PT limeirense vem, sim, traçando os seus destinos para 2018, ano eleitoral, embora lideranças adiantem que ainda não há manifestações sobre candidaturas locais. O que não descarta essa possibilidade.

Cada um por si
Apoio a outras candidaturas, inclusive de outros partidos, segundo essas lideranças, será uma decisão individual dos filiados e não uma posição do partido.

Traindo na cara
Resta lembrar que nas últimas eleições municipais o PT lançou candidato próprio, mas expressivas lideranças do partido gravitaram em torno do então candidato à reeleição, Paulo Hadich (PSB). Fica a dica!

Onde, onde…
Já que o assunto é o PT, Limeira foi palco de manifestos a favor e contra Lula. No domingo, 21, no Assentamento Elizabeth Teixeira, a favor. Na véspera da votação, na terça-feira, 23, o Vem pra Rua daqui tentou reunir simpatizantes contra, mas pela repercussão foi um fiasco.

Onde, onde II…
Não menos insípido foi o ato do PT local. Ambos não tiveram a estrutura midiática nem a seu favor e nem contra. E quando isso acontece…

Ideológico, só!
Aliás, ficou mais que claro que os movimentos pró-impeachment de Dilma Rousseff (PT) e contra seu líder principal, Lula, e o próprio partido em si, não queriam o fim da corrupção e dos corruptos. Apenas o fim de um partido e de seus líderes.

O fim do que?
E as provas dessa situação é que os corruptos continuam a governar. A corrupção tem sido a marca do governo Temer (MDB) para garantir que as denúncias contra ele não avancem e seus principais ministros estão sendo investigados em inquéritos no STF ou já são réus.

Como fica agora
Lula foi condenado em segunda instância. Quem deve e quem não deve comemorar? O que vai e o que não vai acontecer? O ex-presidente será o não será preso? Vai ser candidato sub-judice?

Dois mais dois
Essa soma continua sendo quatro. Assim como a única candidatura já em curso é a do deputado federal limeirense, Miguel Lombardi (PR), que vai concorrer à reeleição. Com certeza com o apoio da máquina do governo Mario Botion (PSD), cujo partido também deve sonhar com candidatura própria, só não se sabe se para somar com Lombardi ou concorrer com ele na mesma esfera.

Nomes pesados
Dr. Júlio (DEM), Pastor Nilton (PRB), Carolina Pontes (PSDB), Raphael Camargo (MDB), Constância ou Murilo Félix, ambos do PDT, são sempre lembrados em períodos eleitorais.

Pode até ser ele
Outro nome que pode ganhar combustível nessa corrida é o do vereador Marcelo Rossi (PSD), do mesmo partido de Botion e autor do pedido da CPI da Saúde. Rossi vem fazendo um ótimo trabalho de divulgação de seus atos e propostas. E pode até se dizer que ele é o mais ativo nesse sentido.

Volta ao trabalho
No próximo dia 5 de fevereiro a Câmara Municipal retoma as sessões ordinárias. Aí é só ficar de olho na atuação de cada vereador e perceber quem está e quem não está interessado que outubro chegue logo.

USTL dá a largada
E, quem saiu na frente foi a USTL (União Sindical dos Trabalhadores de Limeira). Sem meias palavras, a entidade que reúne vários sindicatos já anunciou que vai ter candidatos próprios, à Assembleia e Câmara Federal. Assumiu o ativismo. Veja matéria nesta edição da Tribuna.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*