FORA DE EXPEDIENTE

Antonio Claudio Bontorim
Danilo Janine
redacao@tribunadelimeira.com.br

Festa de Momo
Com a política em compasso de valsa e bolero, é o carnaval que toma conta das discussões e, mesmo assim, não deixa de ser em tom que envolve até mesmo a política. Trata-se de dois anúncios feitos nesta semana. O carnaval de blocos em Limeira, com o É Carnaval e o desfile das escolas e blocos em Cordeirópolis, conforme mostra a Tribuna em matérias nesta edição.

Anúncio oficial
A assessoria de imprensa da prefeitura da cidade vizinha já distribuiu informação à imprensa, com os nomes dos blocos e das escolas a desfilar. E, entre elas, uma de Limeira. Aí é que entra o tom político da coisa.

Folia aqui também
Depois da Festa no Parque, no ano passado, que substituiu os festejos de Momo, Limeira este ano terá um novo evento: o É Carnaval Limeira, que vai abrir espaço e até mesmo ajudar financeiramente os blocos, que deverão se inscrever para poder desfilar da Praça Toledo Barros até o Parque Cidade.

Inscrições abertas
Para os blocos interessados as inscrições já estão abertas e vão até o dia 19, conforme matéria publicada nesta edição da Tribuna. Os tempos áureos da Dendê e da Bandeira Branca ficaram na história. Uma situação que não é exclusiva  de Limeira. Os municípios da região vivem essa mesma seca.

E fica a pergunta
Se uma escola de samba de Limeira pode desfilar em Cordeirópolis, por que não desfila em Limeira também?

Pois é…
Vereador Dr. Rafael Camargo (MDB) está usando as redes sociais para fazer um balanço de seu primeiro ano na Câmara de Limeira. Entre os destaques citados por ele, está sua participação na Comissão da Saúde “atuante e fiscalizadora”. Uma pena, ele não ter se pronunciado de forma oficial sobre o resultado da CPI da Saúde.

Só para lembrar
O resultado final da CPI da Saúde serviu apenas para que Limeira perdesse seu segundo secretário da Saúde num único ano (o primeiro do governo Botion), Gerson Hansen Martins, por não concordar com o relatório e querer uma investigação mais apurada sobre o caso.

Copinha e política
Conforme apurou a coluna, diretores da Inter de Limeira estariam justificando a ausência do Leão na Copa São Paulo deste ano com o argumento de que a Copinha seria para “atender interesses políticos”.

Interesses atendidos
Com um alto custo, a Inter acerta em não ser sede, mas, talvez erre, em não participar. Independente disso, vale lembrar que em um passado recente o time de Limeira foi sede do torneio, ou seja, teria “atendido estes mesmos interesses políticos”.

Não é comigo, não
O pior dos pecados no serviço público é o chamado puxa e empurra de responsabilidades. O que pode parecer apenas uma questão de competência acaba se transformando em saldo negativo para o gestor público. É preciso prestar atenção nisso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*