CONSUMO DE ÁGUA: BRK registra aumento de 8,6%

CONSUMO DE ÁGUA: BRK registra aumento de 8,6%

Após a crise hídrica, que teve seu auge entre os anos de 2014 e 2015, chegando ao início de 2016, Limeira registrou um pequeno aumento gradual no consumo de água, segundo a concessionária BRK Ambiental. Esse aumento, que foi de 612 litros por ligação/dia em 2014, para 665 litros por ligação/dia em 2017 (crescimento de 8,6%), de acordo com a concessionária, indica que a população pode ter retornado a alguns hábitos de consumo do período anterior à crise. Apesar de o município não ter sido afetado de maneira drástica, a concessionária (então Odebrecht Ambiental), registrou redução no volume de água produzido (produção diária dividida pelo número de ligações de água na cidade), devido as notícias veiculadas na região e, também, às ações de conscientização elaboradas pela concessionária e pelo Poder Público.
Segundo a BRK, o comparativo, feito com base no segundo semestre de 2013 e 2014, “período com maior variação de volumes”, mostra que a produção média, no segundo semestre de 2013 foi de 715 litros por ligação/dia e, no mesmo período, em 2014, o volume produzido médio foi 612 litros por ligação/dia. “Isso representa uma queda de 15% no consumo médio da população no município, afirma a concessionária. Ainda de acordo com a empresa, desde então, vem ocorrendo um aumento gradual nesse volume produzido diariamente. “Esse aumento de consumo, provavelmente, está relacionado à percepção da população de que os riscos associados a um novo evento de estiagem severa, como a de 2014, estão menores”, cita a BRK. “Alguns hábitos mais severos de economia de água foram abandonados. Ainda assim, ao comparar os anos de 2013 e 2017 (665 litros por ligação/dia) há uma redução de 7% em relação aos volumes produzidos médios diários”, lembra a concessionária.

CONTINGÊNCIA
Apesar de os mananciais de Limeira – Ribeirão Pinhal e Rio Jaguari – estarem mantendo seus regimes de vazão dentro da normalidade, a concessionária disse que conta com um plano de contingência para eventos extremos e minimização de impactos a seus usuários. Ainda de acordo com a BRK, neste caso, o Rio Jaguari entra em estado de alerta com vazões entre 2 e 5 m³/s (metros cúbicos por segundo); e estado de restrição (redução de 20% do volume outorgado, para captação para consumo humano) com vazões abaixo de 2 m³/s. “Atualmente, o Sistema Cantareira encontra-se com 41% de reservação, em relação ao seu volume útil e o Rio Jaguari, para o ano de 2017, registrou vazões médias de 22 m³/s, caracterizando condições normais de disponibilidade hídrica para o sistema de abastecimento de Limeira, que capta, em média, 760 litros por segundo (0,760 m³/s)”, explica em nota.
Mesmo assim, a concessionária lembra que independentemente da situação hídrica do momento, é importante que se mantenha os hábitos de consumo inteligente.

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*