Calcanhar de Aquiles

Calcanhar de Aquiles

O déficit de policiais civis e militares em Limeira – assim como em quase todos os municípios paulistas – é ponto pacífico. Levantamento feito pelo Sindpesp (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo), conforme mostrou a Tribuna na semana passada, mostra que a cidade, que tem 52 policiais hoje em atividade, precisaria de mais que o dobro de servidores atuando na Polícia Civil, ou seja, o quadro ideal seria de 106. Entre cidades vizinhas pesquisadas pela Tribuna, Limeira é a segunda com maior déficit, só ficando atrás de Piracicaba. Na Polícia Militar, o município que tem entre 360 e 370 pms atuando, precisaria de três ou quatro vezes mais policiais que isso.
Presidente do Sindpesp, a delegada Raquel Kobashi Gallinati, foi feliz ao afirmar que a situação é reflexo do “sucateamento da segurança feita pelo governo do Estado”. E este Editorial vai além: ao lado da educação, a segurança pública seria o grande calcanhar de Aquiles do governo PSDB, que há 22 anos comanda o estado mais rico da União. Não é preciso muito para comprovar tal afirmação. Basta uma volta nas ruas de qualquer cidade paulista para constatar junto à população o que ela pensa sobre a segurança pública e a educação no Estado.
Em sociedades desenvolvidas, o Estado oferece aos cidadãos, de forma gratuita e com excelência, saúde, educação, segurança pública e transporte. Algo bem diferente do que acontece não só em São Paulo, mas em todo país.
Faltando pouco menos de um ano para uma eleição que definirá quem comandará o Estado e o país pelos próximos quatro anos, as promessas dos pré-candidatos (de todos os partidos, sem exceção), que já não surpreendem ninguém, são de investimentos em saúde, transporte público, educação e segurança pública…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*