Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Danilo Janine
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

O PT apaziguador
Uma suposta tentativa de ocupação do MST (Movimento dos Sem Terra) no Horto Florestal de Limeira, idêntica a ocorrida no mês passado, só que durante o governo Paulo Hadich (PSB), teria sido evitada por intervenção de membros do PT local, atendendo um pedido do próprio Hadich.

Negociação frustrada
Na ocasião, segundo apurou a coluna com três fontes ligadas ao Partido dos Trabalhadores, Hadich negociava com os líderes do MST e o Incra, a aquisição de uma área anexa ao assentamento Elizabeth Teixeira para que as 100 famílias ali instaladas pudessem ter, cada uma, 20 hectares de terra para produção, além da regularização do assentamento. Sem explicação, a negociação não foi finalizada.

Entre tapas e beijos
Ainda em lua de mel com o PT, Hadich não queria, segundo uma destas fontes ouvidas pela coluna, se desgastar com o partido, por isso iniciou as negociações. Ocorre que o ex-prefeito também não queria “ficar mal” com empresários e grupos próximos a ele contrários a permanência do movimento no horto e esse teria sido o motivo da negociação não ter terminado.

Sem explicação
As outras duas pessoas ligadas ao PT (uma delas que atuou no alto escalão do governo Hadich) confirmaram a negociação, mas não souberam explicar o motivo de ela não ter dado certo. Apesar disso, ambas disseram que não ficaram sabendo desta suposta tentativa de ocupação.

Culpado
Dos três petistas ouvidos pela coluna (todos pediram para não ter os nomes revelados), dois culpam Hadich pelo fracasso nas negociações. O outro, que atuou no alto escalão do governo, afirmou não saber o motivo do fracasso, mas isentou Hadich.

E os resultados?
Leitor assíduo da coluna está cobrando resultados das chamadas “comissões relevantes” criadas na Câmara de Limeira. Ex-vereador (que pediu para não ter o nome revelado), ele cita que nunca viu nenhum relatório oficial que permita ações práticas dessas comissões na resolução dos problemas, aos quais se propõe a investigar.

É muita reunião
De acordo com ele, é muita reunião para pouco resultado. Apenas questionamentos, mas sem nada de concreto. “Ainda estou esperando um relatório apontando os problemas e apresentando prováveis soluções”, disse.

Não é o Janjão…
Ou seja, João Geraldo Lopes Gonçalves, ex-assessor de Paulo Hadich (PSB), que estaria atuando no Sintrapel (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel, Papelão e Artefatos de Limeira e Região). É o próprio presidente do Sintrapel-Limeira, Betinho, quem afirma.

…mas a cara dele
A confusão, segundo Betinho, é porque Geraldo Cândido, presidente do Sintrapel-SP, é a cara (pessoa muito parecida) do João Geraldo, o Janjão daqui de Limeira, e alguém “deve tê-lo visto na sede do sindicato por aqui”.

Críticas passadas…
Parecidos ou não, vale ressaltar que Janjão, o de Limeira, em um passado recente foi crítico feroz de entidades como o Sintrapel, simplesmente por não serem filiadas a CUT, e hoje, curiosamente, compartilha publicações do sindicato na redes sociais. Vai entender…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*