CRISE FINANCEIRA NA PREFEITURA: Servidores falam que faltam materiais

CRISE FINANCEIRA NA PREFEITURA: Servidores falam que faltam materiais

Danilo Janine
Limeira
danilo.janine@tribunadelimeira.com.br

A crise econômica no município fez o governo Mario Botion (PSD) alterar o sistema de compras na prefeitura, o que, segundo servidores que entraram em contato com a Tribuna e pediram anonimato, estaria prejudicando o trabalho no Edifício Prada, já que alguns itens usados no dia a dia estariam em falta. Secretário chefe de Gabinete, Edison Moreno Gil confirmou que desde o início da atual administração municipal, um comitê gestor, que se reúne semanalmente, aprova ou veta todos os pedidos de compra. Até aquelas mais simples, do dia a dia, como material de escritório, por exemplo, precisam de tal aprovação. “Pessoas (servidores) têm que justificar tudo (pedidos de compra). Não há nenhum item faltando”, afirmou. “Se não é um item de primeira necessidade, é vetada a compra”, completou o secretário, explicando que um “ato educacional” (espécie de memorando de orientação) foi enviado às secretarias, mas nada que impeça qualquer tipo de compra. “Hoje mesmo (quarta-feira, 1º) foram aprovados R$ 4 milhões em compras”, disse.
Já os funcionários públicos ouvidos pela reportagem citaram a falta, em alguns dias, de materiais de escritório, como papel ou canetas, por exemplo.

CONTRATAÇÕES
Contratações e exonerações de comissionados também estariam vetadas de momento na prefeitura, segundo informaram estes mesmos servidores. Eles afirmaram que haveria casos em departamentos da administração municipal onde seriam necessários mais funcionários.
Moreno Gil disse que o governo “está reavaliando o quadro” de funcionários e que se houver aumento no trabalho serão feitas contratações pontuais. “Estes dias mesmo o Jornal Oficial do Município trouxe várias contratações na Secretaria de Saúde”, contou.
O secretário ainda garantiu que a atual gestão irá fazer exonerações, se entender que elas sejam necessárias. “Se precisar, irá exonerar, independente da questão financeira (encargos trabalhistas)”, afirmou.
Moreno Gil voltou a dizer que até agora, todos os compromissos da prefeitura estão em dia e prometeu que os salários dos servidores são prioridade da gestão Botion.
Conforme mostrou a Tribuna, durante entrevista coletiva em agosto para falar sobre a crise financeira do município, Botion não descartou atrasar salários. “Pode haver o descompasso em alguns pagamentos (inclusive salários de servidores) ainda em 2017”, disse o prefeito, que também não descartou a criação da taxa da luz – CIP (Contribuição de Iluminação Pública).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*