CESARIANAS: Índices continuam acima da média em Limeira

CESARIANAS: Índices continuam acima da média em Limeira

Antonio Claudio Bontorim
LIMEIRA
claudio.bontorim@tribunadelimeira.com.br

O número de cesarianas continua alto em Limeira. Inclusive com uma inversão no porcentual recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que coloca o Brasil como campeão mundial na modalidade, e deveria ser de 15%. Em Limeira entre os quatro hospitais consultados pela Tribuna, em alguns casos porcentuais chegam a quase 80%. Um estudo da ANS (Agência de Saúde Suplementar), em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein e IHI (Institute for Healthcare Improvement), que instituiu o PPA (Projeto Parto Adequado) em 2015 (do qual a Unimed Limeira faz parte), aponta para 84,4% de cesarianas no setor suplementar de saúde, perante uma média nacional de 57%. E esses números, apesar de uma ligeira queda, continuam a fazer parte das estatísticas em Limeira, com ligeira diferença entre os quatro hospitais: dois particulares (a própria Unimed e a Medical) e dois que atendem pelo SUS (Sistema Único de Saúde), a Santa Casa e a Humanitária.
A Unimed Limeira chegou a 21,89% dos partos normais em 2016, cuja primeira fase do projeto, que se encerrou em outubro do ano passado, previa até 40% desse tipo de parto. E até o dia 31 de outubro último, esse porcentual subiu para 23,37%. Já a Medical chegou a 20,48% de partos normais realizados em 2016, superando 2015, com 16,24%, e voltando a ter nova queda até outubro deste ano, para 14,59% de partos normais para o total dos realizados.
Na Santa Casa os números são bem maiores, mas refletem a média nacional de partos cesarianas, ficando até abaixo dos 57% dessa média e até mesmo o setor de saúde suplementar. O porcentual de cesarianas, entre 2016 e 2017, ficou na casa dos 53% e, os partos normais, 45%.
Já o Hospital Humanitária foi o que menos partos fez entre 2015 e 2017. Apesar de o hospital não divulgar os números solicitados, a Tribuna apurou, junto à Secretaria de Saúde de Limeira, que os índices de cesarianas são os menores entre os outros três. Variam de 25% a 55%, no período.

Números mostram total de partos feitos no município

Os números de partos realizados nos quatro hospitais de Limeira, entre 2015 até outubro deste ano, mostram cenários diferentes em termos porcentuais. A Unimed realizou em 2015, 772 partos, sendo 626 cesáreas (81,08 %) e 146 normais (18,92%). Já em 2016, foram 795, com 621 cesáreas (78,11%) e 174 normais (21,89%) e, até o dia 31 de outubro, 672, sendo 515 cesáreas (76,63%) e 157 normais (23,37%). A Medical, por sua vez, realizou 1.146 partos em 2015, sendo 960 por cesarianas (83,76%) e 186 normais (16,24%). No ano passado foram 923 ao todo, com734 partos cesáreas (79,52%) e 189 normais (20,48%). Em 2017, até 31 de outubro, foram 925 partos realizados, sendo 790 cesáreos (85,14%) e 13 normais (14,59%).
A Santa Casa, que registra números elevados, por atender principalmente partos de risco, segundo o próprio hospital, tem números dentro da média nacional para cesarianas. Em 2015 foram 2.264 partos no total, sendo 1.021 cesáreas (53,04%) e 1.063 normais (46,96%). No ano passado, foram 2.388, com 1.302 cesáreas (54,52%) e 1.086 normais (45,48%). Neste ano, até o mês de outubro, foram 1.951, com 1.066 cesáreas (54,63%) e 885 normais (45,37%).
Já a Humanitária realizou, em 2015, 344 partos, sendo 88 cesáreas (25,58%) e 256 normais (74,42%). Em 2016, foram 300, com 121 cesáreas (40,33%) e 179 normais (59,67%) e, neste ano, em dados levantados até o mês de setembro, foram 334 partos, sendo 186 cesáreas (55,69%) e 148 normais (44,31%).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*