EFICIÊNCIA DAS PREFEITURAS: Limeira é nota B em ranking do TCE

EFICIÊNCIA DAS PREFEITURAS: Limeira é nota B em ranking do TCE

Danilo Janine
Limeira
danilo.janine@tribunadelimeira.com.br

Limeira manteve a nota B no IEG-M (Índice de Efetividade da Gestão Municipal), indicador criado pelo TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) para medir a eficiência das prefeituras paulistas. Os dados, divulgados na semana passada, fazem parte do exercício 2016, ou seja, no caso de Limeira, da gestão Paulo Hadich (PSB). Apesar de Limeira manter a mesma nota recebida no ano passado (exercício 2015) e em 2015 (exercício 2014), quando o índice foi criado, o município não recebeu nota A em nenhuma das sete áreas monitoradas pelo TCE: educação (B+), saúde (C+), planejamento (C), gestão fiscal (B+), meio ambiente (B+), proteção aos cidadãos (B+) e tecnologia da informação (B).
Em comparação com os dados de cidades da região consultados pela Tribuna, somente Limeira e Cordeirópolis não obtiveram nota A em nenhum quesito. No resultado geral, Cordeirópolis também obteve nota B.
Em Piracicaba, por exemplo, que também obteve nota B no geral, educação e meio ambiente receberam a avaliação máxima. Já em Americana, que também recebeu um B no geral, proteção aos cidadãos foi avaliado com A, mesma nota recebida neste quesito por Rio Claro, que também foi avaliada com nota B no geral. Em Iracemápolis, também avaliada com B no geral, planejamento recebeu a avaliação máxima do TCE.
Professor do curso de administração pública da FCA-Unicamp, Paulo Van Noije avalia como positiva a criação do índice que tenta mensurar as gestões municipais. “O mais importante é fazer a comparação entre as cidades. O objetivo principal do índice é este”, explica.
Ele diz ser preocupante o fato e Limeira, mesmo sendo avaliada com B no geral, não ter recebido nota A em nenhuma das sete áreas analisadas pelo Tribunal. “A cultura de tentar mensurar (as gestões) é algo recente e as cidades não estão preparadas para isso, e mesmo que estivessem, os resultados levam algum tempo para surtir efeito”, comenta, explicando que as administrações públicas devem se basear no índice para melhorar as áreas monitoradas.
Em nota, o Tribunal de Contas do Estado cita que os resultados deste ano mostram que eficiência das prefeituras paulistas voltou a cair e que a partir desse levantamento, os municípios são classificados em faixas de resultado como altamente efetiva (A), muito efetiva (B+), efetiva (B), em fase de adequação (C+) e baixo nível de adequação (C). Ainda conforme o TCE, nenhuma das 644 cidades do Estado (sem contar a capital), recebeu nota inferior a C na avaliação geral, assim como nenhum município foi avaliado com a classificação A.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*