Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Danilo Janine
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Volta da censura?
As declarações de Pastor Nilton (PRB) afirmando que quando algum jornal for publicar notícia sobre a Câmara de Limeira, ela precisaria ser aprovada antes pela Casa, mostra de duas uma: ou ele não entende nada sobre jornalismo ou quer controlar o que a imprensa local fala.

Transparência zero
Os ataques proferidos por este vereador a Tribuna de Limeira na sessão de segunda-feira, 7, aparentam ser reflexo de alguém que não quer ser questionado e não preza pela transparência.

Fiel escudeiro
Lemão da Jeová Rafá (PSC) apoiou o colega e, mesmo sem ter lido a matéria da Tribuna citada pelo Pastor, como ele mesmo afirmou, decidiu emitir sua opinião sobre a “imprensa que persegue” e citou como exemplo o caso de um homem que teria “estrupado” (estuprado) uma criança, teve o nome divulgado pela grande mídia e tempos depois, segundo ele, nada foi comprovado, mas o estrago já tinha sido feito.

Meus amigos
Outro que criticou a imprensa foi o vereador  Wagner Barbosa (PSB), que é jornalista. Segundo ele, a imprensa teria ligado seu nome ao ex-presidente Lula, visando “denegrir sua imagem”.

Desgosto com a profissão
Em seu discurso, Barbosa disse: “infelizmente sou jornalista”. Seria algum tipo de frustração coma profissão por parte do vereador?

Sim, é verdade
Constância Félix (PTB), condenada com seu marido – o prefeito cassado Silvio Félix (PDT) – em primeira instância por improbidade administrativa, que chegou a ser presa com os filhos em 2011 em uma operação deflagrada pelo Ministério Público, afirmou ser perseguida pela imprensa.

Novo sobrenome
A vereadora, que não usa o sobrenome Félix no portal da Câmara e aparece como Constância Berbert Dutra, pediu uma imprensa imparcial e “que cumpra o seu papel, que aqui cumpriremos o nosso”.

É o que todos querem
Sim, vereadora, o que a população mais quer é que todos os políticos cumpram seu papel.

Saudades da Elza
Constância aproveitou para citar que era próxima da ex-vereadora Elza Tank (já falecida) e que se ela “estivesse aqui (na Câmara na época da cassação de Félix), Silvio não teria sido cassado”.

Não é bem assim
Erika Tank (PR), filha de Elza, rebateu: “agradeço a referência a minha mãe, mas não faça afirmações aqui sobre o que ela faria ou não. Ninguém aqui vai dizer pela minha mãe se teria feito ou não teria feito”.

Coerente
Erika aproveitou ainda para lembrar Pastor Nilton que “se cada matéria que tiver que sair no jornal, eles tiverem que mandar para Câmara, acho que estaríamos fazendo errado”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*