REDUÇÃO DE ESTÔMAGO: Fila de espera ultrapassa três anos

REDUÇÃO DE ESTÔMAGO: Fila de espera ultrapassa três anos

A espera para pessoas que buscam fazer a cirurgia bariátrica (redução de estômago) através do SUS (Sistema Único de Saúde) em Limeira pode ultrapassar 3 anos. Limeirenses que vão às UBSs (Unidades Básicas de Saúde) em busca do procedimento são operados no Hospital dos Fornecedores de Cana, em Piracicaba. As secretarias Municipal e do Estado de Saúde não souberam informar quantas pessoas aguardam o chamado para começar o ciclo multidisciplinar (acompanhamento com médico, nutricionista, psicólogo e outros profissionais da saúde, feito antes do procedimento).
Uma autônoma, 40, ouvida pela Tribuna e que pediu para não ter o nome revelado, que há um ano e meio já passa pelo ciclo multidisciplinar, contou que foram 3 anos para que ela fosse chamada desde que procurou uma UBS (Unidade Básica de Saúde) na cidade. “Você se cadastra e aí espera até ser chamado”, afirmou. Ela, que pesava 122 quilos, explicou que durante o ciclo multidisciplinar são estabelecidas metas de emagrecimento para que a cirurgia possa ser feita. “Já estou com 114 quilos e preciso chegar a 104 quilos para poder operar”, disse.
Segundo ela, há muita gente aguardando para ser chamada. “Isso sem contar as pessoas que já estão no acompanhamento (ciclo multidisciplinar)”, falou.
Um vendedor, 35, também ouvido pela reportagem, que fez a cirurgia no ano passado, disse que foram 3 anos do dia que se cadastrou até ser chamado para começar o ciclo multidisciplinar. “Demorou para ser chamado. E hoje, nos retornos (tratamento pós operatório), a conversa que ouvimos é de que o Estado, para cortar gastos devido a crise, irá diminuir o número de operações feitas”, falou. Um ano após o procedimento, o vendedor perdeu 40 quilos, passando de 130 quilos para 90 quilos.
Secretário de Saúde de Limeira, Gerson Hansen Martins alegou que no início do ano, mudanças originadas na Secretaria de Estado da Saúde fizeram com que o controle da fila de espera passasse do município para o Estado, através da DRS (Diretoria Regional de Saúde), no caso de Limeira, em Piracicaba.
Já a Secretaria de Estado da Saúde limitou-se a dizer, através de nota enviada por sua assessoria de imprensa que, em 2016, foram realizadas 1.753 cirurgias bariátricas no Estado.
A nota citou ainda que “a cirurgia bariátrica é realizada somente mediante indicação médica” e  que “geralmente, o paciente com obesidade possui restrições e doenças que dificultam a realização das cirurgias, como por exemplo, diabetes e hipertensão. Sendo assim, nem todos com indicação médica para cirurgia bariátrica estão efetivamente aptos a fazer o procedimento imediatamente, por questões de quadro clínico geral não favorável.”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*