GÁS ENCANADO EM LIMEIRA: Consumo em residências sobe 16,91%

GÁS ENCANADO EM LIMEIRA: Consumo em residências sobe 16,91%

Danilo Janine
Limeira
danilo.janine@tribunadelimeira.com.br

O número de residências com gás encanado em Limeira aumentou 16,91% nos últimos quatro anos, segundo dados informados pela Comgás, empresa responsável pela distribuição de gás encanado no Estado. Em 2013 eram 2.920 residências atendidas, contra 3.414 neste ano. O número de gás distribuído também aumentou na cidade, segundo a empresa, passando de 18.870 m³ (metros cúbicos) por mês para 21.249 m³ mensais, aumento de 13%.
A economia, em relação ao preço do GLP (gás liquefeito de petróleo), conhecido como gás de cozinha, e o fato de se pagar somente o que se consumir, são as vantagens, segundo consumidores ouvidos pela Tribuna.
Vendedor, Wlamir Milaré, 62, que há alguns anos usa o gás encanado, diz que a mudança no prédio onde mora foi vantajosa. “Antes, no prédio eram aqueles botijões grandes e o valor do gás era rateado entre todos os moradores, não importando quanto você tinha gasto. Hoje, só pago o que uso”, explica. “Compensa. Gasto pouco e só pago o que consumo”, completa.
Aposentado, João Silva, 64, que também vive em um prédio, diz que para ele, que usa muito pouco gás, esta foi a melhor alternativa. “Cozinho pouco em casa e há meses em que gasto menos de R$ 10”, conta.

INSTALAÇÃO
Mais comuns em prédios, consumidores residenciais que vivem em vias por onde passam as tubulações da Comgás também pode solicitar o serviço. Segundo a empresa, o valor da instalação varia em cada caso, dependendo da complexidade do imóvel e de outras variáveis, por isso, o valor não poderia ser informado. Apesar disso, a Comgás informou que o custo da instalação, feito por uma empresa contratada pela distribuidora, pode ser parcelado em até 36 meses e o valor investido pode ser “recuperado pelo morador no prazo de 24 a 36 meses, dependendo das características do imóvel”.
No início de junho, a Petrobras publicou sua nova política de preços para a venda do GLP em botijões de até 13 quilos para uso residencial e às distribuidoras, que não terá como referência a paridade internacional, mas que garante uma margem fixa para a companhia.
O gás de cozinha era o único derivado do petróleo vendido pela empresa que ainda não tinha um modelo definido pela nova gestão da estatal.
Em Limeira, o preço médio do botijão de 13 quilos do GLP gira em torno de R$ 52.
Conforme mostrou a Tribuna, no início de junho, as tarifas da Comgás foram reajustadas. Os percentuais de variação nas tarifas são distintos, conforme o segmento de mercado e o volume de consumo. No segmento residencial, a variação ficou entre 2,6% e 7,8%.
A Comgás conta com 1,7 milhão de clientes, segundo dados divulgados em abril no balanço trimestral. São 1.667.998 clientes residenciais, 15.811 comerciais, 1.160 industriais, 26 projetos de cogeração e 271 postos de combustíveis com GNV.
As tabelas completas com as novas tarifas estão disponíveis para consulta nos sites da Arsesp (www.arsesp.sp.gov.br) e da Comgás (www.comgas.com.br/tarifas).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*