Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Danilo Janine
LIMEIRA

redacao@tribunadelimeira.com.br

Explicação dada
O Núcleo de Imprensa da Câmara justificou a demora em repassar um release aos meios de comunicação sobre a Tribuna Livre, envolvendo o representante da comunidade LGBT de Limeira, Thomas Hopfengartner, conforme mostrou a coluna na edição passada, dizendo que não houve cerceamentos ao tema.

Muito trabalho
Segundo o departamento, não houve tentativa de barrar a publicação por parte de ninguém na Câmara. Foi o volume de trabalho do dia seguinte à sessão, com muitos releases, o responsável pelo envio tardio da informação à imprensa.

Alertar é preciso
Vale lembrar, também, que não houve nenhuma crítica da Tribuna de Limeira ao Núcleo de Imprensa, mas sim, um alerta por ações de alguns vereadores, ligados a bancadas religiosas, de muitas vezes tentar dissimular ações, quando contrárias as suas crenças.

É chega pra lá?
O PSC (Partido Social Cristão) está colocando o deputado carioca Jair Bolsonaro na geladeira. No programa político do partido, na última terça-feira, 20, mostrou todos os parlamentares e dirigentes, mas Bolsonaro não apareceu. O partido começa a empurrar o militar reformado para fora da concorrência à Presidência da República.

Esfriando tudo
Talvez, o partido tenha percebido que ele não agrega valor. Muito pelo contrário. Pois os ideais de intolerância, ódio e preconceito que vêm pregando, não representam ideais “cristãos”, como prega na sigla o C, de cristão.

O discípulo local
E por aqui, será que o vereador Clayton Silva, também do PSC, e que gosta de ser chamado de “Bolsonarinho”, vai aprender essa lição? Ou vai defender seu ídolo partidário?

‘Livro não é incesto’
E por falar em Clayton Silva, o livro Enquanto o Sono Não Vem, citado por ele e pelo colega Lemão da Jeová Rafá, também do PSC, como sendo de apologia ao incesto, não é bem como pensavam os parlamentares. Segundo o professor da Furb (Universidade Regional de Blumenal), Maicon Tenfen, é o contrário.

Preparado
Os argumentos do professor universitário foram ditos em uma coluna publicada no portal Veja.com, onde ele  afirmou que “se entendermos um conceito simples como ‘histórias são ferramentas para a vida’, será fácil perceber que o conto de Eredegalda não é uma apologia do incesto, mas o seu oposto. O universo simbólico dos contos de fadas serve para isso mesmo: criar condições psicológicas para que as crianças se defendam do autoritarismo e da barbárie”.

Censura
Tenfen ainda diz na coluna que a decisão do MEC, de recolher o livro, deveria “pelo menos preservar os estudantes da sanha vingativa de políticos populistas que ainda não entenderam para que servem os livros” e chamou a postura do Ministério de “uma estupidez”.

E a saúde…
Os vereadores do PSB, Wagner Barbosa e Marco Xavier deram um pulinho em Campinas para falar com o deputado federal, Luiz Lauro Filho, líder do partido no Congresso, a quem pediram socorro e emendas parlamentares de repasse de verbas do Ministério da Saúde à Santa Casa e à Humanitária. Em nota enviada à imprensa pelo gabinete de Wagner Barbosa, é citada a dívida de R$ 10 milhões da Humanitária, conforme trouxe a Tribuna.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*