O marasmo de sempre

O marasmo de sempre

Para muitos, a cobrança não é legítima e nada justifica pagar para estacionar o carro em uma via pública. Independentemente disso, a cobrança da Área Azul ocorre em diversos municípios Brasil afora, o que não é diferente em Limeira. E como a cobrança é realizada, o motorista espera, no mínimo, que o serviço oferecido (do estacionamento rotativo) seja bem feito. Em regiões onde o fluxo e a rotatividade de pessoas são grandes, a Área Azul e seu estacionamento rotativo – que obriga o veículo estacionado a permanecer por um período pré-determinado em uma vaga – faz com que a oferta de locais para se estacionar seja maior. Partindo deste princípio, a ampliação deste serviço para outros pontos de Limeira, onde o fluxo e rotatividade de pessoas também são grandes, se faz necessária. E é aí que entra o marasmo do Poder Público.
Promessa antiga em Limeira, a ampliação da Área Azul segue parada no governo Mário Botion (PSD), conforme mostrou a Tribuna em sua última edição. O argumento usado pela administração pública é que a crise do transporte coletivo – um problema bem mais urgente, é claro – precisava ser resolvida antes. Errado. Em uma cidade como Limeira são vários os problemas que surgem constantemente e que precisam de solução imediata e simultânea.
Botion erra ao achar que terá tempo para resolver um problema somente após outro ser solucionado. Erra por muitos motivos e um deles é que o tempo de governo – quatro anos – é curto e o problema solucionado será logo esquecido pela população (eleitores). Diferente daqueles não resolvidos, que serão lembrados diariamente.
Que Botion não siga o exemplo de seus antecessores, que acreditaram que algumas coisas poderiam ser deixadas para depois e acabaram não tendo tempo para isso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*