Bola na Área

Bola na Área

Falar da situação do Independente na A3 já virou, como se diz na gíria, “carne de vaca”. De nada adiantaram as reclamações de torcedores, conselheiros e questionamentos da imprensa para que algo fosse feito enquanto havia tempo para salvar o time do descenso.

Os apelos foram inúteis e a Arte da Bola, responsável pelo futebol do clube, manteve-se fiel a Piá. Para o motivo deste “amor insano” não existe ainda nenhum tipo de resposta. Agora, resta lamentar. E, chorar na cama, que é lugar quente.

Com três ou quatro rodadas já era visível que o time não chegaria a lugar nenhum. Quando a vaca atolou no brejo, começou-se a utilizar os jovens da base, aqueles que participaram da Copa São Paulo. Já era tarde demais.

Os erros foram sendo acumulados e deu no que deu. Quem errou? Todos. Presidência do clube, presidência da Arte da Bola e presidência do Conselho. Todos foram coniventes com aquilo que estava acontecendo em campo. Time medíocre e que não teve arranque em momento algum da competição.

As duas vitórias seguidas foram enganosas e quando se enfrentou times de maior categoria (apesar de todos na mesma divisão), o desastre foi total.

Que, para o campeonato amador da Federação Paulista de Futebol, ano que vem, se tenha um mínimo de planejamento, o que não aconteceu em 2017.

E encerrando o assunto, foi “arquivado” o caso do “suposto sumiço de dinheiro” da arrecadação do dérbi. Quantia, segundo Anivaldo dos Anjos, girava em torno de R$ 7 mil a R$ 12 mil.

A Inter tem claudicado nas últimas rodadas, mas essa possibilidade existia, pois são muitos jogos e o desgaste é natural. Mas, o foco precisa continuar e uma vitória neste sábado, 25, contra o Grêmio Osasco, é de suma importância.

Com certeza, as derradeiras rodadas serão de tirar o fôlego, tanto na parte de cima da tabela, como na de baixo, com os times querendo fugir do famigerado descenso para a Série B.

A seleção brasileira mudou da água para o vinho nas mãos de Tite. Perdemos muito tempo com Dunga no cargo. A Rússia é ali mesmo e, com certeza, a seleção canarinho vai chegar como uma das seleções favoritas.

Caminha-se celeremente para a formação de uma liga independente para o futebol amador. Já há uma diretoria formada e, em breve, a reunião para sacramentar o fato.

Pelo menos, os dirigentes dos clubes estão se virando, já que a vontade da secretaria correspondente é para evaporar com os esportes, deixando-os para que outros tomem conta.

Lamentável que isso ocorra, principalmente, porque temos uma juventude ávida por esportes, em todos os sentidos. E, enquanto isso, força-se a votação de projeto na Câmara, esquecendo-se dos centros comunitários, que estão virando sucata, exceção a dois ou três.

E, falando em favoritismo, fica cada vez evidente que o time a ser batido na temporada é o Palmeiras. Com um elenco recheado de craques, pode faturar todos os títulos da temporada. Quem se planeja, leva os louros.

O Noah chegou, esbanjando muita saúde com seus 3,5 quilos. Papais Maria Carolina (Salvi)-Nilton Cesar (Melo) e irmão Nilton Cesar (Júnior), eufóricos. É o meu terceiro neto. Que possa ter um futuro brilhante, num país ainda cheio de dúvidas. Deve engrossar a grande torcida do Timão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*