Antonio Claudio Bontorim
Danilo Janine
LIMEIRA
redacao@tribunadelimeira.com.br

Efeito colateral
Apesar de ter maioria esmagadora na Câmara, o prefeito Mario Botion (PSD) não terá, ao que parece, vida fácil no Legislativo, quando suas medidas afetarem a população. A questão da redução dos postos de entrega de medicamentos é a primeira delas.

Vai no embalo
Os vereadores, ao que tudo indica, aprovarão com facilidade e tranquilidade os projetos do Poder Executivo, mas, pelo visto, não estão dispostos a chancelar medidas que possam colocar a população contra eles também. Parece que, desta vez, eles não estão querendo “que a opinião pública se lixe”. Sinal dos tempos…

Coçar a cabeça
O desgaste político, com ações nada republicanas e por meros interesses pessoais, apesar de ainda não ter sensibilizado muitos eleitos por todo o país, começa a deixar os novatos, os debutantes em eleições, com a pulga atrás da orelha. O que é um bom presságio.

É impressão…
… ou os vereadores recém-eleitos estão diminuindo o volume de informações distribuídas à imprensa?

Tacho raspado
O município está quebrado. Embora ainda seja um assunto tratado com certo melindre, é do conhecimento de todos que as contas públicas estão no bagaço. E não adianta os próceres da administração passada chiar, que contra fatos e, principalmente, números não há argumentos. Não tem dinheiro mesmo.

Militância on-line
E por falar em governo passado, comissionados do ex-prefeito Paulo Hadich (PSB) que participam de um grupo fechado no WhatsApp têm combinado entre eles para que liguem em veículos de comunicação (pré-definidos por eles, é claro) para fazerem reclamações sobre ações do governo Botion.

Nomes conhecidos
A coluna teve acesso a prints da conversa e viu que todos os participantes ocupavam cargos de confiança no governo Hadich.

Credibilidade!?
Credibilidade não se impõe e não se compra. Não há microfone que consiga tal façanha.

O povo sabe escolher
Quem determina quem tem ou não credibilidade é a população – leitores de jornais, ouvintes de rádio e telespectadores de televisão – que, assim como em uma disputa eleitoral onde elege os chefes de estado, escolhe o que ler, ver e ouvir, e em quem e no que acreditará.

Atenção a todos
O Poder Público tem a obrigação de atender a todos os veículos de comunicação, o que não ocorreu em um passado recente, vale lembrar. Até aqueles “suspeitos” devem ser atendidos. No final, vai prevalecer a decisão popular de saber em quem acreditar.

Qual o motivo?
Ataques gratuitos, como os que a Tribuna têm sofrido, quando vindos de grupos políticos, até podem ser compreendidos. Afinal, quem denuncia e publica o que eles não querem, acaba se tornando alvo. Agora, quando eles partem de quem deveria informar, suspeitas começam a surgir, principalmente, quando há forte ligação destes com grupos derrotados nas eleições passadas.

Respeito a quem merece
A Tribuna de Limeira volta a afirmar que usará seus canais de comunicação para se defender de ataques infundados. O jornal reconhece a importância de todos os veículos de comunicação da cidade e tratará com respeito aqueles que a respeitarem.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*