Fora de Expediente

Fora de Expediente

Antonio Claudio Bontorim
Danilo Janine
LIMEIRA
redação@tribunadelimeira.com.br

E vai pra galera
Impressionante o que tem de vereador que adora um discurso com o Plenário da Câmara cheio. Depois que esvazia, eles votam rapidinho os projetos e abrem mão de qualquer discussão.

Exemplo do dia
Foi assim na última segunda-feira, 12. Com o auditório do Plenário cheio, por algumas homenagens, muitos deles se inflamaram e falaram à vontade. Terminadas as homenagens, os interessados se retiraram e o auditório do Plenário se esvaziou. Os discursos também.

É isso aí vereador
Frequentador das sessões, na última fileira, um cidadão insistia em falar alto, elogiando a camisa de um, o terno do outro, a gravata bonita de um terceiro, parabenizando os discursos e as votações. Muitos não conseguiam conter os risos.

Camisa nova, Zé?
O que mais causou risos foi no momento em que o cidadão gritou “camisa nova, hein Zé”, referindo ao vereador Zé da Mix (PSD), que era todo felicidade no Plenário. Já deve estar se antevendo sentado na cadeira principal da Mesa Diretora.

A eleição já foi
Alguns edis, como se costumava dizer antigamente para tratar um vereador, ainda não perceberam que as eleições já foram e a disputa eleitoral já acabou e tem vencedores e vencidos. Continuam com o mesmo discurso de campanha. Assim fica difícil.

O júri popular
E por falar em eleições, os 23 eleitos em outubro – prefeito, vice e os 21 vereadores – foram diplomados na última quarta-feira, 14. Local da diplomação: Sala do Júri do Fórum de Limeira.

Próximo passo
Depois da diplomação, agora a posse. Dia 1º de janeiro, às 16h. Do prefeito, do vice e eleição à Presidência da Câmara. Depois é hora de deixar a teoria e partir para a prática.

Mudando de lado
Não demorou muito e alguns já começam a dar sinais claros que, como de costume, ficarão ao lado de quem está no poder.

De políticos a…
E isso não é exclusividade de políticos. Historicamente alguns fazem isso há anos. Os que eram atacados ontem serão elogiados amanhã e vice-versa.

De pai para filho
A postura foi herdada dos antepassados.

Quem fala o que quer…
Aliás, alguns com o microfone em mãos falam o que bem entendem, mas ficam incomodados quando são “obrigados” a se retratar.

Equipe pronta
Com o anúncio de mais três nomes de seu secretariado (dois novos e uma substituição), o prefeito eleito Mário Botion (PSD) praticamente fecha sua equipe de primeiro escalão.

Técnicos, mas…
Ele cumpre o prometido de indicar só pessoas técnicas para cada pasta, mas deixa algumas dúvidas sobre o discurso de que não haveria acordos com partidos ou grupos políticos para compor os nomes de seu governo.

Passado político
Isso porque alguns secretários têm ligações com grupos políticos e, mesmo sendo técnicos, há dúvidas se nos bastidores não ocorreu nenhum tipo de acordo.

Pergunte à Dilma
Botion sabe que é praticamente impossível governar sem nenhum tipo de acordo. A história recente do país é prova disso.

Não agradou a todos
A aceitação dos nomes indicados pelo prefeito eleito foi boa, mas, como era esperado, ele não conseguiu agradar a todos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*