Atentado à cultura

Atentado à cultura

O encerramento das atividades da Oficina Cultural Carlos Gomes em Limeira e mais nove cidades – todas no interior e litoral paulista –, que tem sido tratado oficialmente pelo governo do Estado – responsável pelo projeto – como uma “mudança administrativa”, onde os municípios ficariam responsáveis pelas atividades e manutenção do programa (mesmo que fossem mantidas verbas estaduais – o que ainda não foi bem explicado) pode ser visto como uma espécie de “pouco caso” do governo Geraldo Alckmin (PSDB) em relação as atividades culturais no interior de São Paulo.
Carente de atividades esportivas e culturais em comparação com a capital, para o interior, perder um projeto como a Oficina Cultural Carlos Gomes é um problema muito maior do que parece.
Em épocas de crise, o Poder Público tem mais do que o direito, a obrigação de cortar gastos – já que esse é o argumento usado pelo governo estadual para justificar o fim das oficinas culturais. Vale ressaltar que esse corte poderia ocorrer em outras áreas onde a sangria e gastos excessivos e desnecessários ocorrem, levando-se em consideração, é claro, o interior do Estado, sempre colocado em segundo plano em relação a capital quando o assunto é investimento.
Com aproximadamente 45 milhões de habitantes em 2016, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Estado de São Paulo, o mais rico da União, tem grande parte de sua população no interior e litoral, mas, apesar disso, o que parece é que o governador Geraldo Alckmin não tem dado o peso e a importância que a região merece.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*